Populares contabilizam prejuízos causados por forte ventania na Forquilha e Cidade Operária

A ventania da tarde desta segunda-feira (13) causou estragos em bairros da capital maranhense. Nos pontos onde houve mais destruição, Forquilha e Cidade Operária, moradores e proprietários de veículos estão contabilizando os prejuízos.

Em um trecho da Estrada de Ribamar – antes do retorno da Forquilha – uma árvore caiu e destruiu totalmente o muro de uma casa, interditando a via. Na região, postes e fios de alta tensão foram parar no chão devido à força do vento. Vários outros postes ficaram inclinados na Avenida Guajajaras e, por pouco, não desabaram.

Homens do Corpo de Bombeiros do Maranhão foram acionados para fazer o corte de galhos de árvores no acesso à Estrada de Ribamar e em outros pontos onde houve estragos.

Vídeos feitos por pessoas que estavam na Avenida Guajajaras, e áreas adjacentes, mostram telhas voando e postes caindo. Na mesma área, uma antena de telefonia celular caiu e atingiu a residência da frente, que ficou parcialmente destruída. Carros foram atingidos por telhas e tampas de caixa d’água arremessadas pelo ar e outros objetos que desabaram.

Na Unidade 201 do bairro Cidade Operária, também na região metropolitana, cômodos de várias residências foram destelhados e moradores precisaram montar uma força-tarefa para amenizar os transtornos.  

Por medida de segurança, a Defesa Civil Municipal interditou algumas ruas, para evitar transtornos a proprietários de estabelecimento comerciais e para domicílios. Equipes do Instituto Municipal da Paisagem Urbana (Impur) e do Comitê Gestor de Limpeza Urbana fizeram a remoção de troncos e de galhos de árvores, desobstruindo as pistas.

Equipes da Secretaria Municipal de Obras e Serviços Públicos (Semosp) avaliaram os danos causados na rede de iluminação pública. O fornecimento de energia na região chegou a ser interrompido em razão do comprometimento da rede residencial, operada pela empresa Equatorial. Por isso, funcionários da Companhia Energética trabalharam para restabelecer o fornecimento.

Para garantir fluidez ao trânsito, guardas da Secretaria Municipal de Trânsito e Transportes (SMTT) tentaram orientar os motoristas. As equipes se concentraram no retorno da Forquilha/Avenida Guajajaras e estrada de Ribamar. Até o fim da tarde desta segunda, não houve registro de feridos e/ou desabrigados.

VENTANIA NO TURU E COROADINHO

Esta não é a primeira vez, nos últimos meses, em que chuvas e ventania causam rastro de destruição na região metropolitana de São Luís.

No mês de junho, ruas e avenidas ficaram alagadas em vários bairros de São Luís. No bairro no Turu, populares presenciaram o mesmo fenômeno. A ventania quebrou a fachada de um supermercado do bairro, destelhou casas e derrubou até um outdoor. A força do vento ainda arremessou uma telha de uma residência para o jardim de outra casa.

No início de julho, outra forte ventania assustou moradores do bairro Coroadinho, em São Luís. Pelo menos seis casas foram atingidas pela força do vento. Danos foram causados em residências da rua Manoel Alves Abreu, no Alto São Francisco, do Alto São Sebastião e da Vila dos Frades.