Home Maranhão Academias reabrem a partir desta segunda-feira; bares retomam dia 29

Academias reabrem a partir desta segunda-feira; bares retomam dia 29

Academias reabrem a partir desta segunda-feira; bares retomam dia 29

No Brasil, cerca de três meses após o início da adoção de medidas de isolamento e restrições de circulação e de funcionamento do comércio adotadas pelos estados e pelo Distrito Federal, a maior parte das unidades da federação, começa a afrouxar as regras ou a pelo menos definir planos para a retomada gradual das atividades econômicas, mantendo medidas de isolamento social.

Pelo menos 17 estados e o Distrito Federal publicaram medidas que permitem a flexibilização das normas que foram adotadas inicialmente, discutindo com prefeituras uma retomada gradual, dependendo da situação de cada região. Em pelo menos 14 unidades da federação, essas medidas estão em vigor. Seis estados estão discutindo, mas ainda não têm planos de retomada oficialmente publicados. Alagoas, Bahia e Mato Grosso do Sul estão na fase final e devem publicar os planos em breve. Espírito Santo, Roraima e Mato Grosso discutem as medidas.  

As medidas de flexibilização são controversas entre especialistas. Por um lado, a crise econômica enfrentada pelas unidades federativas leva a uma reabertura, por outro, há ainda no país um crescimento do número de casos e de mortes por COVID-19, doença causada pelo novo coronavírus.

Esta semana, a Organização Mundial da Saúde (OMS) afirmou que o Brasil caminha para a estabilização e que precisa redobrar a cautela. O diretor executivo da OMS, Michael Ryan, alertou que uma estabilização pode se transformar em um aumento de casos, como visto em outros países.

COVID-19 NO MARANHÃO

O governo estabeleceu, por meio da Secretaria de Indústria, Comércio e Energia (Seinc), em diálogo com os segmentos empresariais, o Pacto e Protocolos para Retomada das Atividades Econômicas no Maranhão, no qual foram estabelecidas medidas sanitárias que visam dar maior grau de segurança para o retorno das atividades. 

O estado chegou a fazer o chamado lockdown, ou seja, o bloqueio total de quase todas as atividades comerciais não essenciais, com multas e outras punições para quem descumprisse as medidas, por determinação judicial.

Desde o dia 25 de maio, atividades econômicas começaram a poder ser retomadas, começando com o funcionamento de estabelecimentos comerciais de pequeno porte onde somente trabalhavam, antes da pandemia, e continuariam a trabalhar, exclusivamente o proprietário e seu grupo familiar.

Atualmente, podem funcionar no estado minimercados, supermercados e hipermercados; construção civil, cabeleireiros e atividades de tratamento de beleza, clínicas médicas e odontológicas, hotéis e pousadas, transporte coletivo, óticas, bancos e auto escolas.

Economista analisa os impactos econômicos da COVID-19:

Desde o dia 15 de junho, foi autorizada a reabertura de lojas de rua e de shopping centers, com protocolos específicos para essas atividades. Semanalmente, o estado atualiza a cartilha orientativa com os protocolos sanitários a serem seguidos.

Após ficarem fechadas por aproximadamente três meses, as academias foram autorizadas a reabrir a partir desta segunda-feira(22) em São Luís. Um decreto foi editado pelo governador Flávio Dino (PCdoB) para estabelecer regras sanitárias que dificultem a propagação da Covid-19 nesses ambientes.

Antes de tudo, deve ser feita uma triagem para identificar sintomas antes das pessoas entrarem no ambiente. Isso poderá ser feito por meio de questionário. Quem tiver sintomas não pode entrar. Também devem-se criar horários específicos e exclusivos para idosos (60 anos ou mais) e adultos dos grupos de risco.

As academias devem fixar cartazes com as normas, como o uso de máscaras obrigatório para todos os alunos e instrutores. A retirada da proteção facial só é permitida durante o uso dos equipamentos. O espaço para cada pessoa se exercitar deve ser demarcado com fitas no chão – tanto nas áreas de peso livre quanto nas salas coletivas – com o limite de uma pessoa a cada quatro metros quadrados.

Já bares e restaurantes voltam a receber clientes no dia 29 de junho, dependendo também da estabilidade dos números. Quanto ao setor da educação, o retorno das aulas agora é 1° de agosto.

Um calendário para os esportes também vai começar a ser estudado, segundo Flávio Dino, e já trabalha com algumas datas. Primeiro para o futebol, que poderá reiniciar os treinos no mês que vem. Os jogos poderão ser liberados em agosto.