Home Maranhão São Luís Perícia pode mudar rumo de investigação do assassinato de sobrinho-neto de Sarney

Perícia pode mudar rumo de investigação do assassinato de sobrinho-neto de Sarney

Featured Video Play Icon

A equipe de jornalismo da TV Difusora conversou nesta quinta-feira (18) com o advogado de defesa de Ayrton Campos Pestana, que está preso desde a última terça-feira (16) em São Luís.

Contra ele pesava um mandado de prisão preventiva por suposto envolvimento na morte do sobrinho-neto do ex-presidente José Sarney, Diogo Adriano Costa Campos, ocorrida esta semana. Mas a informação de um carro com as mesmas características do veículo da família de Ayrton pode mudar o rumo das investigações sobre o assassinato do publicitário.

“Escolheram um, por que existe o Wanderley que é o dono do veículo e os dois filhos. Quando foi detectado o número da placa do veículo idêntica a do Wanderley eles foram atrás, evidentemente fizeram a investigação. Eu cheguei aqui e disse que esse poderá ser motivo de clone da placa do veículo. As imagens das câmeras instaladas próximo ao estabelecimento onde o pai dele trabalha dizem isso, que ele ficou desde 8 horas da manhã até meio dia com o carro parado. Exatamente 12h16, está inclusive nas filmagens, ele foi abastecer no posto defronte ao estabelecimento ali na Camboa; e de lá foi embora para casa”, disse Raimundo Silva, advogado de defesa do suspeito.

A investigação do caso está agora sob o comando do delegado da Superintendência de Homicídios e Proteção à Pessoa (SHPP), George Marques, que falou à imprensa sobre a apuração dos fatos.

“Chegou ao conhecimento a possível prática desse crime por indivíduos que estavam em um veículo clonado, a gente tá investigando essas informações, coletamos imagens de vídeo e encaminhamos ao ICRIM [Instituto de Criminalística] para que nos forneça um exame pericial que possa demonstrar ou não se aquele veículo que aparece naquelas imagens do crime é de fato o mesmo veículo que foi apreendido. Algumas outras informações a gente está colhendo com testemunhas, outras imagens de câmeras”, disse o delegado.

Até o fim da manhã desta quinta-feira Ayrton continuava preso no Complexo Penitenciário. “Tão logo a gente tome conhecimento, através de exames periciais que o veículo era outro, a gente vai comunicar de fato ao poder judiciário e o Ministério Público. Vamos tomar as atitudes corretas nesse sentido, para seguir a investigação do crime do jeito que tem que ser”, finalizou.