Home Maranhão Órgãos repudiam ato de enfermeiro que soltou fogos para comemorar morte de prefeito

Órgãos repudiam ato de enfermeiro que soltou fogos para comemorar morte de prefeito

Órgãos repudiam ato de enfermeiro que soltou fogos para comemorar morte de prefeito

A Federação dos Municípios do Estado do Maranhão (FAMEM) lançou nota de repúdio nesta segunda-feira (08) a respeito da conduta do enfermeiro Higor Cunha, que soltou fogos de artifício para comemorar a morte do prefeito de Santa Quitéria, Alberto Rocha. O gestor faleceu no sábado (06) em decorrência de complicações causadas pela Covid-19.

“Antes de tudo, é importante lembrar que médicos, enfermeiros, técnicos de enfermagem e os demais profissionais da área de saúde são verdadeiros heróis na missão de salvar vidas diante da maior crise de sanitária do século, com quase 37 mil vítimas em nosso país”.

Segundo a FAMEM, no Maranhão mais de 20 prefeitos foram infectados pela doença. “Todos atuavam e atuam na linha de frente para combater a proliferação do novo coronavírus. O prefeito de Santa Quitéria infelizmente foi vencido pela doença, assim como outros 1207 maranhenses”, diz. 

A Federação garantiu que serão tomadas as devidas providências para que episódios como este não ocorram mais em nosso estado. 

“É reprovável a conduta do senhor Higor Cunha, ainda mais por se tratar de um profissional que deveria dedicar-se à saúde e ao bem estar do próximo, respeitando o ser humano com dignidade, “até depois da morte”, conforme o juramento da Enfermagem”, afirma a nota. 

O Coren-MA também se manifestou sobre o caso, veja a íntegra da nota abaixo:

A Junta Interventora do Conselho Federal de Enfermagem (Cofen) no Conselho Regional de Enfermagem do Maranhão (Coren-MA) tomou conhecimento de um vídeo que circula nas redes sociais de um profissional de enfermagem que estaria “comemorando” a morte do ex-prefeito do município de Santa Quitéria do Maranhão, Alberto Moreira Rocha (PDT), que faleceu nesse sábado, dia 6, por complicações causadas pela Covid-19.

Sobre o caso, o Coren-MA lamenta profundamente a conduta desse profissional e a repudia publicamente por entender que tal atitude é desprezível e totalmente contrária aos valores éticos e morais que norteiam a Enfermagem.

Cabe aos enfermeiros, técnicos e auxiliares de enfermagem o cuidado e o respeito com a vida humana. Essa é uma premissa básica que se aprende desde os primeiros anos da escola de formação, seja ela a faculdade ou o curso técnico. Aquele que se diz profissional de enfermagem e não compreendeu esse princípio estará prestando um desserviço para si mesmo e para toda a sociedade.

É preciso entender que a liberdade de expressão não é absoluta e, por isso, tem limites. O regime democrático do país garante às pessoas o direito de se expressarem da forma como bem entenderem, desde que não promovam calúnias, injúrias ou difamações contra o próximo.

Dessa forma, o Coren-MA tomará as medidas necessárias para evitar que atitudes como essa realizada pelo profissional de enfermagem, de desrespeito ao próximo, inclusive aos mortos, fiquem impunes.