Kátia Bogéa diz ter sido demitida do IPHAN após Bolsonaro atender interesses de empresário

Na reunião ministerial do dia 22 de abril, Jair Bolsonaro reclamou da atuação do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN) e citou o dono da Havan, Luciano Hang, que teve uma obra parada no Rio Grande do Sul após consultoria encontrar vestígios arqueológicos no local.

A ex-presidente do instituto, Kátia Bogéa, comentou a declaração do presidente na reunião e disse à Folha ter sido demitida após reclamação de Hang e do senador Flávio Bolsonaro. Segundo Kátia, a paralisação da obra ocorreu porque a empresa contratada por Hang reportou ao IPHAN um achado arqueológico.

“Ele criou esse escarcéu porque nem a mais simples das obrigações eles querem fazer. Estávamos ali para cumprir a Constituição. O que queriam é que não observássemos a lei”. Do Antagonista.