Dobra número do acervo digital da Biblioteca Benedito Leite durante a pandemia

Como a recomendação é ficar em casa, a tecnologia tem sido uma aliada em diversas áreas. Na Biblioteca Benedito Leite, por exemplo, as buscas ao acervo digital dobraram durante a quarentena.

Quando a direção da Biblioteca iniciou o processo de digitalização de parte do seu acervo de 140 mil obras nacionais e estrangeiras, a ideia era preservar documentos e livros raros. A nova norma imposta pelo distanciamento social, que impede a presença física de frequentadores à maior biblioteca pública do Maranhão e uma das mais antigas do Brasil, trouxe uma grata surpresa a este belo templo de conhecimento: o número de acessos ao acervo digitalizado dobrou durante a quarentena. O número de consultas que em março foi de 1.300, subiu para 3.618 acessos em maio.

São mais de 8 mil documentos disponíveis na versão digital, a exemplo de O Conciliador, o primeiro jornal do Maranhão e o livro mais antigo da instituição, Alterações de Évora, de 1637. O site tem acesso fácil e gratuito e está abrigado na página oficial da Secretaria de Estado da Cultura.

O roteiro de ficção científica ou até mesmo de terror que estamos vivendo com a pandemia da COVID-19 está longe de ser uma história com final feliz para todos. Mas o acervo digitalizado da Biblioteca Benedito Leite ganhou um papel fundamental nesse cenário: virou parte do kit de sobrevivência para os amantes da literatura e de pesquisadores.

A Biblioteca Pública Benedito Leite também está mantendo várias outras ações virtuais, para garantir acessibilidade muito além do espaço físico.