Home Maranhão MA solicita envio da Força Nacional para evitar novos conflitos em territórios indígenas

MA solicita envio da Força Nacional para evitar novos conflitos em territórios indígenas

MA solicita envio da Força Nacional para evitar novos conflitos em territórios indígenas

Após o atentado contra a vida do índio Antônio Filho Providência Guajajara na manhã deste sábado (4), o secretário de Estado de Direitos Humanos e Participação Popular (Sedihpop), Francisco Gonçalves, decidiu encaminhar ofício ao ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, solicitando o envio de tropas da Força Nacional de Segurança Pública para conter a escala de conflitos internos na Terra Indígena (TI) Arariboia.  

Essa é a segunda ocorrência de violência registrada na TI Arariboia nesta semana. Na última terça-feira (31), o líder indígena Zezico Rodrigues Guajajara foi encontrado morto próximo à Aldeia Zutiá, no município de Arame. 

Em nota, a Sedihpop informa que Antônio Filho Guajajara “provavelmente foi vítima de tiro disparado por arma de fogo à altura de sua cabeça”, mas que o indígena já “passou por procedimentos médicos, exames e segue em observação” no Hospital Socorrão de Imperatriz, para onde foi encaminhado.   

Como a legislação brasileira preconiza que as áreas indígenas são porções do território nacional, no ofício enviado ao ministro Sérgio Moro, o secretário Francisco Gonçalves solicita a presença da Força Nacional para evitar novos conflitos e mortes na área federal.

Francisco Gonçalves também reivindica que “seja determinada à Polícia Federal a apuração rigorosa destes e outros casos e as suas vinculações com o crime organizado na região”.

“Cresce o número de conflitos internos na TI Arariboia, com atos de violência e morte. Sendo áreas indígenas território federal, cabe a Polícia Federal agir com presteza e determinação e ao ministro Sérgio Moro enviar pra essa área a Força Nacional, para evitar novos conflitos”, disse Francisco Gonçalves em uma rede social. 

A Sedihpop informou ainda que segue acompanhando de perto o caso, por meio do seu Núcleo de Assessoria Indígena (Nassin).