Coronel Augusta fala no HD sobre como identificar crime de importunação sexual

Foi lançada na Casa da Mulher Brasileira, em São Luís, mais uma campanha de combate à violência contra a mulher no carnaval. Durante esse período, o número de ocorrências costuma aumentar. Toda essa movimentação da folia, cresce também outra preocupação: a do assédio sexual. As mulheres até repetem que “não é não”, mas infelizmente alguns homens insistem em não ouvir.

Porém, é importante lembrar o tempo todo que desde setembro do ano passado uma lei tipifica beijos roubados, toques inconvenientes e outros atos libidinosos como crime de importunação sexual. Sobre a campanha, lançada para alertar as mulheres e a sociedade a respeito do tema, o programa Hora D entrevistou nesta segunda-feira (17) a coronel Augusta Andrade, da Patrulha Maria da Penha.