Acordo mediado pelo TRT-MA evita greve de rodoviários

O acordo firmado durante audiência de conciliação entre representantes do Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários no Estado do Maranhão (STTREMA) e do Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros de São Luís (SET) foi homologado pelo desembargador José Evandro de Souza, vice-presidente e corregedor do Tribunal Regional do Trabalho da 16ª Região (Maranhão), no início da tarde desta sexta-feira (14), no Gabinete da Vice-Presidência do TRT-MA.

Os trabalhadores e empregadores do setor de transportes aceitaram a proposta do desembargador, evitando assim, a greve de motoristas e cobradores da capital, que havia sido adiada para a próxima segunda-feira (17).

Após ouvir as reivindicações de cada sindicato, o desembargador José Evandro apresentou a proposta de 5% de aumento salarial e do ticket-alimentação, além de R$ 6,00 por dia de trabalho para o motorista que também exercer a função de cobrador. Após analisarem a proposta, as partes resolveram conciliar.

O SET se comprometeu a reajustar o piso salarial dos trabalhadores e o ticket-alimentação em 5%, bem como a pagar diária de R$ 6,00, nos dias efetivamente trabalhados, ao empregado que venha a exercer a função de motorista e cobrador. Pelas cláusulas do acordo, apenas o reajuste de 5% sobre os salários retroagirá aos meses de janeiro e fevereiro de 2020. O sindicato patronal também se comprometeu a manter o plano de saúde nos moldes anteriores, ou seja, exclusivamente para o empregado titular.

Presentes, também, à audiência de conciliação o procurador do trabalho Maurício Pessoa Lima; o assessor especial da Agência de Mobilidade Urbana e Serviços Públicos (MOB), Nilson Brasiliano dos Santos, e os assessores jurídicos Thiago Ferreira Souza e Ney Batista Leite Fernandes. O SET foi representado pelo preposto José Luiz de Oliveira Medeiros. O sindicato dos trabalhadores, pelo presidente Isaías Castelo Branco. Também participaram os advogados Erick Abdalla Brito (SET) e Valúzia Maria Cunha Santos (STTREMA), além de outros empresários e trabalhadores.