Home Maranhão São Luís Radialista acusado de assédio sexual tem pena convertida em serviços

Radialista acusado de assédio sexual tem pena convertida em serviços

Radialista acusado de assédio sexual tem pena convertida em serviços

Foi condenado a um 1 e 8 meses de prisão por assédio sexual o radialista Samir Ewerton. Ainda assim, a pena dele foi convertida em serviços comunitários.

Há dois anos, o comunicador foi acusado por profissionais de comunicação de oferecer oportunidades de empregos em troca de favores sexuais. Na época, ele trabalhava na rádio Universidade FM, mas logo foi demitido. Em sua defesa, chegou a dizer que havia perdido o celular e que as mensagens não teriam sido escritas por ele. Pelo menos sete vítimas estão arroladas ao processo, que corre em segredo de justiça.

Relembre o caso

Uma jornalista maranhense denunciou um caso de assédio que sofreu após entrar em contato com o radialista, que teria se apresentado como recrutador de uma oferta de emprego que a interessava.

Após receber o anúncio da vaga pelas redes sociais, ela enviou o currículo para o radialista, que teria pedido o WhatsApp dela. A partir desse momento, ela alega que passou a ser assediada com a promessa de conseguir a vaga em troca de sexo.