HomeMaranhãoCaxias Delegado e investigador são baleados dentro da delegacia

Delegado e investigador são baleados dentro da delegacia

Delegado e investigador são baleados dentro da delegacia
O delegado da Polícia Civil, Valdemar Barros, foi atingido com um tiro de pistola no abdômen quando presidia um auto de prisão em flagrante nas dependências do 1° Distrito Policial da cidade de Caxias, no Maranhão. O autor do disparo foi identificado como Jardel da Silva Ribeiro. Ele ainda feriu com um tiro na perna o investigador de polícia identificado como Marinho.
O criminoso teria aproveitado um momento de distração do delegado e pegou a pistola que estava em cima da mesa e atirou. Na semana passada a justiça negou um pedido de prisão preventiva solicitado pela Polícia Civil de Caxias, contra Jardel pela prática de um crime de homicídio naquela cidade.
O delegado Valdemar Barros, passou por uma cirurgia e acabou perdendo um rim e o baço.

Prisão

Neste domingo, (4) policiais conseguiram localizar Jardel que ao ser abordado foi encontrado com uma pistola. Imediatamente ele recebeu voz de prisão e foi levado para o 1° DP de Caxias para ser autuado em flagrante. O delegado Valdemar começou o interrogatório do acusado e enquanto tomava o depoimento dele deixou a pistola em cima da mesa. Em um determinado momento Jardel aproveitou e pegou a arma e em seguida disparou contra o delegado. Ainda de arma em punho ele atirou também no policial Marinho que foi atingido na perna. Os dois policiais feridos foram socorridos e encaminhados para o hospital da cidade onde estão internados.

Segundo caso em Caxias

Em maio de 2014 também dentro de uma delegacia da cidade de Caxias o homem identificado como Francisco Alves da Costa, atacou com uma faca a escrivã da Polícia Civil Loane Maranhão Thé. Ele aproveitou o momento em que era interrogado e pegou a faca que estava em cima da mesa. Loane recebeu vários golpes e morreu ao dar entrada no hospital daquela cidade. Francisco ainda atingiu também a investigadora Marilene Moraes, que conseguiu sobreviver. Francisco depois foi julgado e condenado pela prática dos crimes.