HomeMaranhão Defesa tenta inocentar prefeito apontado como mandante de assassinato

Defesa tenta inocentar prefeito apontado como mandante de assassinato

Featured Video Play Icon

Segue em tramitação o caso Ivanildo Paiva, prefeito de Davinópolis que foi assassinado em novembro do ano passado. A defesa do prefeito Rubem Firmo, agora prefeito e suposto mandante do crime, tenta provar a inocência do réu.

Estão arrolados no processo, que tem dez volumes de aproximadamente 300 páginas, o mecânico José Denilton, conhecido como Boca Rica, o policial militar do estado do Pará Francisco de Assis Bezerra, o Tita, o policial militar lotado em Grajaú Willame Nascimento, o fazendeiro Antônio José Messias e o prefeito afastado do cargo, José Rubem Firmo.

A primeira parte da audiência de instrução e julgamento foi realizada no dia 28 de maio, quando foram ouvidas 7 das 11 testemunhas arroladas pelo Ministério Público. Nesta segunda parte, a expectativa é ouvir as outras 4 testemunhas de acusação, 30 de defesa e os acusados. Seis advogados trabalham as teses de defesa dos acusados, que serão os últimos a serem ouvidos.

Durante as investigações do assassinato de Ivanildo Paiva, o vice Rubem Firmo foi apontado pela polícia como o mandante. A vítima tinha 57 anos e estava no segundo mandato consecutivo no cargo de prefeito de Davinópolis. Paiva foi morto com sete tiros na fazenda localizada na zona rural.