HomeMaranhãoSão Luís Contra desapropriação, moradores bloqueiam linha férrea

Contra desapropriação, moradores bloqueiam linha férrea

Contra desapropriação, moradores bloqueiam linha férrea

Na manhã desta sexta-feira (31), a comunidade da Vila Maranhão interditaram os trilhos de acesso do trem da empresa Transnordestina. Para o bloqueio, os moradores utilizaram um pedaço de trilho e galhos de árvore para impedir a passagem de trens.

Ontem (30), na Vila Maranhão, ocorreu uma tentativa de desapropriação de casas que ficam na margem dos trilhos. A derrubada foi requerida via medida judicial pela empresa Transnordestina. Os moradores reivindicam o direito à moradia.

Apesar de haver uma decisão judicial para demolir algumas das casas, tem um acordo na Justiça Federal para que não haja demolição até que se realize uma perícia para ver as áreas que devem ser reapropriadas pela União.

Os moradores estão reunidos com representantes de direitos à moradia. Desde quinta-feira, a comunidade está em vigília e protesto com o objetivo de impedir a desapropriação.

Por meio de nota, a Ferrovia Transnordestina Logística (FTL) esclareceu que o local mencionado pertence à União e que, na condição de concessionária do serviço público de transporte ferroviário de cargas e arrendatária da área, a empresa tem a obrigação de adotar medidas para evitar a ocupação ilegal da faixa de domínio.

De acordo com a Ferrovia Transnordestina Logística, a linha férrea que passa pela Vila Maranhão está em operação e por ela circulam diariamente trens que transportam combustíveis, fertilizantes e contêineres, entre outros produtos. As pessoas que ocupam a faixa de domínio ferroviário colocam em risco suas vidas, pois esse é um espaço que, por motivos de segurança, tem que estar livre e não pode ser ocupado por nenhuma construção.

A FTL esclareceu ainda que vem adotando as medidas judiciais cabíveis para desocupar a faixa de domínio. Sensível ao impacto social, a empresa informou que buscará se reunir com lideranças locais na próxima semana para intermediar o contato da comunidade com o Poder Público à procura de uma solução.