HomeMaranhãoSão Luís Ato pela educação reúne 30 mil pessoas em São Luís, segundo APRUMA

Ato pela educação reúne 30 mil pessoas em São Luís, segundo APRUMA

Ato pela educação reúne 30 mil pessoas em São Luís, segundo APRUMA

Terminou por volta das 18h30 desta quinta-feira (30), no Centro de São Luís, a mobilização intitulada 30M. O ato segue tendência nacional contra os cortes nas verbas da educação nas universidades e institutos federais; e também contra a Reforma da Previdência.

Segundo a Associação dos Professores da Universidade Federal do Maranhão, que esteve na organização do evento na capital maranhense, o ato reuniu cerca de 30 mil pessoas, a mesma quantidades do último dia 15 de maio. Durante a passeata, houve lentidão no trânsito na região central, que precisou ser orientado pela Secretaria Municipal de Trânsito e Transportes (SMTT) e Polícia Militar.

A concentração da manifestação começou às 15h na Praça Deodoro e seguiu pela Rua Rio Branco e Avenida Beira-Mar, com destino à Praça dos Catraieiros, onde estavam previstos shows culturais. Entre as atrações: Contrabando Lírico (rap), Antídotos Sociológicos (mon/UEMA), banda Casarão Verde (reggae), Enme Paixão, entre outras.

O 30M teve como mote “Construindo a Greve Geral, contra a Reforma da Previdência e o corte de 30% na Educação”, acordado entre o Sindicato Nacional dos Docentes das Instituições de Ensino Superior (ANDES-SN), Confederação Nacional dos Trabalhadores da Educação (CNTE), união Brasileira dos Estudantes Secundaristas (UBES), União Nacional dos Estudantes (UNE), entre outras centrais sindicais.

“Em São Luís, muita gente compareceu à passeata em defesa da Educação. Espero que o Governo Federal convide entidades do segmento para um amplo diálogo em favor dessa importante causa patriótica: proteger nosso sistema de educação, ciência e tecnologia”, disse o governador do Maranhão, Flávio Dino, em uma rede social.

Pela manhã, professores e alunos da Universidade Federal do Maranhão (UFMA) e Instituto Federal do Maranhão (IFMA) aderiram ao movimento nacional e realizaram um ato em defesa da educação e contra os cortes nas universidades também na Praça Deodoro. Foram montadas tendas para levar à sociedade conhecimento sobre a produção científica das instituições.

Na mobilização, 30 pesquisadores – estudantes, docentes e técnicos – mostraram seus trabalhos científicos durante o ato Ciência na Rua.