HomeMaranhão Acusado da morte do cantor André Lobo será julgado nesta quarta

Acusado da morte do cantor André Lobo será julgado nesta quarta

Acusado da morte do cantor André Lobo será julgado nesta quarta

Será submetido a júri popular nesta quarta-feira (29) Glaubson Maranhão dos Santos, 38 anos, o “Nem”. Ele é acusado da morte do cantor André Lins Martins Gonçalves, o André Lobo, e tentativa de homicídio contra Teresa Gomes da Silva e Souza. O julgamento está marcado para as 8h30, no salão de sessões do 4º Tribunal do Júri de São Luís, no Fórum Des. Sarney Costa e será presidido pelo juiz Osmar Gomes, respondendo pela 4ª Vara do Júri. Os crimes ocorreram na madrugada do dia 08 de maio de 2014, próximo ao retorno do bairro Forquilha.

O Ministério Público denunciou Glaubson Maranhão dos Santos pelos crimes de homicídio qualificado por motivo fútil e tentativa e homicídio. Conforme a denúncia, o acusado efetuou disparos de arma de fogo contra as vítimas, causando a morte do cantor André Lobo. Teresa Gomes da Silva foi alvejada na perna, socorrida e levada ao hospital. Consta na decisão de pronúncia que a motivação dos crimes teria sido uma briga de trânsito, originada de uma colisão entre dois veículos.

O julgamento deveria ter ocorrido em 20 de março de 2019 mas, a pedido da defesa, foi redesignado para 29 de maio de 2019.

De acordo com depoimento da vítima de tentativa de homicídio, tudo aconteceu por conta de uma colisão entre o carro em que as vítimas estavam e outro veículo, em frente a uma boate, localizada na Estrada de Ribamar, próximo ao retorno da Forquilha. Segundo ela, após a colisão, desceram para conversar, no intuito de chamar a perícia. Bateu no vidro do carro, pedindo ao condutor do outro carro que também descesse do veículo, mas o motorista não desceu, não se identificou e saiu do local com o carro.

Nesse momento, conforme depoimento da vítima, saíram cinco homens de dentro da boate. Um deles foi até um carro pegou uma arma de fogo, momento em que André Lobo disse para a Teresa correr. A vítima contou que foi atingida com um tiro na perna e conseguiu correr e se esconder.

Ao ser interrogado em juízo, Glaubson Maranhão dos Santos negou ser o autor do crime. Ele disse que estava dentro da boate quando viu as pessoas correndo para o lado de fora do estabelecimento. O acusado possui outros registros de crime doloso contra a vida.