Home Maranhão Após 28h de julgamento, PMs são absolvidos do assassinato de mecânico

Após 28h de julgamento, PMs são absolvidos do assassinato de mecânico

Após 28h de julgamento, PMs são absolvidos do assassinato de mecânico

Foram absolvidos na tarde desta terça-feira (30) do crime de homicídio do mecânico Irialdo Batalha, ocorrido no ano de 2015 em Vitória do Mearim, os policiais militares José Miguel de Castro e Flávio Roberto Gomes dos Santos. Pelo crime, foi condenado a 16 anos e 6 meses o vigilante Luís Carlos Machado de Almeida. Ao todo, dez pessoas foram arroladas entre defesa e acusação.

Além do assassinato do mecânico, os três também foram julgados pela tentativa de homicídio de Diego Ferreira Fernandes. Ele estava pilotando a moto no dia do crime, enquanto Irialdo seguia na garupa do veículo. Diego foi alvejado com um tiro no pé. Durante o julgamento que durou 28 horas, realizado no Fórum Desembargador Sarney Costa, o piloto da moto foi a primeira testemunha a falar.

Mesmo sendo absolvido dos crimes de homicídio e tentativa de homicídio, o sargento José Miguel foi condenado a 2 anos e 9 meses em regime aberto pelos crimes de prevaricação, usurpação de função pública, denunciação caluniosa e fraude processual.

Já o soldado Flávio Roberto Gomes foi condenado a 1 ano e 6 meses de detenção por tentativa de homicídio de Diego Fernando e a 7 anos e 4 meses em regime semi-aberto por prevaricação, usurpação de função pública, denunciação caluniosa e fraude processual.

Além da condenação homicídio do mecânico, o vigilante Luís Carlos Machado foi absolvido da tentativa de homicídio de Diego Fernando, mas foi condenado a 3 meses por usurpação de função pública e 3 meses por fraude processual. Ao total, ele foi condenado a 17 anos em regime fechado com direito de recorrer.

Os dois policiais tem direito de recorrer em liberdade. Cada um dos réus pagará uma multa de 5 mil reais aos danos causados.

 

CRIME

Na época, o mecânico Batalha ainda chegou a ser socorrido e encaminhado a um hospital pelos policiais militares, toda a ação foi filmada. O soldado Flávio Roberto Gomes está na Polícia Militar há 12 anos, já o sargento José Miguel de Castro está atualmente aposentado, ele serviu a corporação durante cerca de 30 anos.