Home Maranhão São Luís Casos de depredação ao patrimônio público no pré-carnaval preocupa gestores

Casos de depredação ao patrimônio público no pré-carnaval preocupa gestores

Casos de depredação ao patrimônio público no pré-carnaval preocupa gestores

Em São Luís, vídeo que flagrou um caso de depredação ao patrimônio público no último fim de semana circulou nas redes sociais. Nas imagens, aparece um jovem pulando na fonte da Praça da Mãe d’Água, colocando em risco um monumento recuperado recentemente. O caso ocorreu durante uma festa de pré-carnaval no Centro Histórico.

O que deveria ser apenas um local de diversão tem se tornado palco de preocupação para os gestores, especialmente pelo desrespeito de alguns foliões com o patrimônio público da cidade. “Nada mais justo que o cidadão ter esse sentimento de pertencimento. O patrimônio pertence a ele e por isso tem que fazer sua parte, ajudando os órgãos de preservação, principalmente nesse período carnavalesco” disse o Superintendente do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), Maurício Itapary.

Outro caso, durante o pré-carnaval, ocorreu na Fonte do Ribeirão, o flagrante foi de foliões usando o local histórico como banheiro. Além desses dois casos, houve um outro dano ao patrimônio ocorrido este ano, dessa vez foi na Praça Deodoro, onde um banco do largo recém-inaugurado foi pichado por vândalos. Um crime como esse prevê detenção de um a seis meses ou multa.

Se o ato infracional for cometido por um adolescente, a autoridade poderá determinar que ele restitua a coisa pública, promova o ressarcimento do dano ou compense de outra forma.

Para o Superintendente do Iphan, com a proximidade do Carnaval é importante que os foliões tenham consciência em zelar o patrimônio. “Usar os banheiros químicos, não depredar o banco, lixeiras, procura colocar o lixo no local apropriado, ou seja, o cidadão tem que fazer a sua parte, ajudando os órgãos que fazem essa manutenção do Centro Histórico, como a Prefeitura de São Luís, Governo do Maranhão e o Governo Federal, com o objetivo de preservar o patrimônio”