Home Maranhão São Luís Caso assédio Colun: OAB emite nota de repúdio contra suspeito de assédio sexual

Caso assédio Colun: OAB emite nota de repúdio contra suspeito de assédio sexual

A Ordem dos Advogados do Brasil, Seccional Maranhão (OAB/MA), tendo sido questionada sobre recentes fatos veiculados na mídia local, vem a público esclarecer que, em se comprovando, repudia o caso de assédio envolvendo uma estudante e um professor do Colégio Universitário (Colun), conforme noticiado por alguns veículos de comunicação do Maranhão e em postagens nas redes sociais, ocorrido nos últimos dias. De acordo com caso divulgado, estudantes denunciaram à Polícia Civil do Estado, o assédio cometido por um professor de química, que também é advogado inscrito nos quadros da OAB/MA.

Apesar de não ter recebido nenhuma denúncia oficial sobre o caso, a OAB/MA, desde já, afirma que não medirá esforços para que eventuais e comprovadas condutas criminosas sejam punidas, garantindo a luta de todas e de todos, diária e contínua, firme e intransigente, pelo fim da violência contra as mulheres, abusos e qualquer outro comportamento de intimidação e opressão.

A OAB Maranhão está comprometida na defesa dos Direitos e no fortalecimento das políticas públicas de enfrentamento à violência e toda forma de abuso, valorizando a responsabilidade de suas comissões, principalmente, nesse caso, a da Mulher e da Advogada, que já vem desenvolvendo um grande trabalho na busca por soluções, sob a tutela do Estado Constitucional e de Direito, visando o recrudescimento dos mecanismos de proteção à mulher e na conscientização sobre igualdade, equidade e, mais do que tudo, sobre respeito.

ENTENDA O CASO 

A Universidade Federal do Maranhão (UFMA) decidiu afastar um professor de química do Colégio Universitário da Universidade Federal do Maranhão por suspeita de assédio. O caso está sendo acompanhado pela Delegacia de Proteção da Criança e Adolescente (DPCA), a delegacia ainda encaminhou a situação de assédio sexual dentro de escola para ciência da Secretaria de Educação.

O suspeito tem graduação em Química Licenciatura pela Universidade Federal do Maranhão, além da graduação em Direito. Atualmente é advogado – Ordem dos Advogados do Brasil, representante da OAB-MA no Conerh/SEMA-MA, membro de comissão da Ordem de Advogados do Brasil – MA.

O caso de registro de denúncia mais recente envolvendo o professor de química ocorreu no final do ano passado, sendo que há três anos outra denúncia de assédio sexual já havia sido registrada.

De acordo com a Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente (DPCA), quanto ao caso mais recente, a investigação continua. A delegada do caso, Ana Zélia, informou que até o momento o suspeito de cometer esses assédios ainda não foi notificado para prestar esclarecimentos. “Estamos colhendo outros elementos de prova”, explicou.  A denúncia feita ainda espera novas provas para que o professor denunciado possa ser chamado para depor.