Home Maranhão São Luís Vítimas de cortes com lâminas iniciam Profilaxia Pós-Exposição

Vítimas de cortes com lâminas iniciam Profilaxia Pós-Exposição

Featured Video Play Icon

A Polícia Civil investiga o caso de – pelo menos – três mulheres que foram cortadas com lâminas durante as prévias carnavalescas no Largo do Caroçudo, no bairro Madre Deus, este fim de semana. A Polícia Militar deve reforçar ainda mais o policiamento. Dentre as vítimas, uma foi cortada no braço, outra na coxa e uma terceira na panturrilha.

Duas das vítimas acolhidas para iniciar tratamento de Profilaxia Pós-Exposição (PEP) de risco para infecção pelo HIV, Infecções Sexualmente Transmissíveis e hepatites virais estão sendo acompanhadas no Centro de Testagem e Aconselhamento (CTA) do Lira.

A transmissão do HIV em casos como esses não é tão simples. Seria preciso, por exemplo, que uma pessoa infectada se cortasse e quase que simultaneamente cortasse a outra pessoa com o mesmo objeto, já que o vírus não dura muito tempo fora do corpo. Mesmo assim, o recomendado é fazer o tratamento.

A PEP é o mesmo tipo de tratamento dado a vítimas de violência sexual e o atendimento precisa ser iniciado até 72 horas, após a exposição. Durante 28 dias, o paciente tomar os medicamentos antirretrovirais e ter o acompanhamento de uma equipe multiprofissional para reduzir o risco de infecções.

Esta profilaxia é oferecida gratuitamente pelo Sistema Único de Saúde (SUS) e pode ser encontrada nas Unidades Mistas do Bequimão, Coroadinho, Itaqui-Bacanga e São Bernardo; além dos Socorrinhos do Cohatrac e São Francisco e dos Centros de Testagem e Aconselhamento (CTA). Ela também pode ser usada como uma medida de prevenção urgente no caso de uma relação sexual desprotegida, mas nesses casos a prevenção continua sendo o melhor caminho.