Home Maranhão Órgãos de segurança estão atentos aos casos de assédio no carnaval; veja

Órgãos de segurança estão atentos aos casos de assédio no carnaval; veja

Featured Video Play Icon

Cresce o número de ocorrências de assédio com a chegada da temporada pré-carnavalesca. Por isso, a diretora da Casa da Mulher Brasileira, Susan Lucena, participou do jornal Na Hora D orientando os telespectadores sobre esse tipo de comportamento e como a mulher deve proceder.

“Beijo forçado, passar a mão no corpo da mulher sem o consentimento. Todos esses atos que não se tem consentimento, já é um assédio. E o limiar entre o estupro e o assédio é muito pequeno. Então se já passou pra uma outra fase, um ato libidinoso maior, de agarrar a mulher e aí já vem uma pena muito maior, a gente informa que a Casa da Mulher Brasileira funciona 24h por dia”, disse a diretora Susan Lucena.

Também durante o programa a coordenadora da Patrulha Maria da Penha, coronel Augusta Andrade, conversou com o jornalista Jeisael Pacheco sobre denúncias de violação de medidas protetivas e situações de ameaças às vítimas. No período de carnaval, o esquema de segurança da Patrulha Maria da Penha é intensificado.

“Quando a mulher sofreu o assédio, se ela de imediato procurar a nossa viatura que está ali próximo, e já tem o acusado e a vítima, a gente já tem todas as peças pra que leve à delegacia, então já tem o flagrante. Toda a Polícia Militar que está no circuito carnavalesco, ela está devidamente orientada em que tipo de ação fazer quando é abordada por uma mulher que foi assediada”, disse a coronel Augusta Andrade.