Condutor de Uber pode ter discutido no trânsito antes de ser morto

Uma pessoa foi ouvida na tarde desta terça-feira (08), na Superintendência de Homicídios e Proteção à Pessoa (SHPP), sobre o caso do motorista de aplicativo Edmilson Azevedo, que foi morto após uma tentativa de assalto no bairro da Liberdade no último domingo (06).

As investigações estão no início e já existe uma série de especulações quanto ao caso. Quatro pessoas estavam no interior do veículo, mas nenhuma delas é considera suspeita do crime. Três foram ouvidas ainda nesta segunda-feira (07), sendo que elas relataram que houve uma breve discussão de trânsito entre o motorista do aplicativo e um motoqueiro, que teria perseguido o veículo e efetuado os disparos.

“A priori não são considerados suspeitos, uma vez que a investigação está só no início. O fato ocorreu no domingo, dois dias atrás, e estamos iniciando as investigações, procurando fazer os levantamentos de praxe. Ouvindo testemunhas, solicitando as perícias, inclusive a gente solicitou a perícia do veículo, que vai determinar com quantos tiros o veículo foi atingido, determinar o trajeto dos disparos”, afirmou o delegado do Departamento de Homicídios George Marques.

Somente a perícia feita pelo Instituto de Criminalística (ICRIM) vai identificar de onde partiram os tiros. Três dos disparos são aparentes na lateral do veículo e podem ter partido de fora para dentro do carro.