Desarticulado grupo que aplicava golpe de clonagem telefônica

A Polícia Federal deflagrou na manhã desta terça-feira (17), a Operação Swindle (Fraude)  nos estados do Maranhão e Mato Grosso do Sul. O objetivo da operação é desarticular uma quadrilha que realizava clonagens de telefones de ministros para aplicação de golpes. Cinco mandados de busca e apreensão e dois mandados de prisão preventiva estão sendo cumpridos, expedidos pela Justiça Federal em Brasília. Aqui no Maranhão, a operação foi realizada no Parque Shalom.

A quadrilha era especializada em clonar linhas de telefone móveis através do aplicativo whatsapp que tem como vítimas autoridades dos Poderes Legislativo e Executivo. O bando clonava as linhas telefônicas e solicitava empréstimos perante os contatos do titular da linha clonada. Os suspeitos clonaram os aparelhos da governadora do estado do Paraná Maria Aparecida Borghetti, além de vários Deputados Federais, Estaduais e Ministros de Estado.

A organização criminosa aliciava laranjas para abrir contas e receber as transferências bancárias da lista de contatos das vítimas. Os golpistas se passavam pelas autoridades, alegando que tinham seu limite de transferência bancário excedido e solicitavam que a pessoa da lista de contatos da agenda telefônica fizesse uma transferência complementar para uma conta dada pelo falsário. Em alguns casos os golpistas encaminhavam boletos a serem pagos pelas vítimas, que acreditavam estar fazendo um favor para os mesmos.

Um dos presos foi Leonel Silva Pires Junior, de acordo coma Polícia Federal, ele era dono de uma empresa de tecnologia e soluções tecnológicas no Cohajap, onde também funcionava uma lan house. Leonel Junior foi conduzido à sede da PF.

Outras três pessoas também foram presas, Marksuel Pereira de Sousa, Thatiele Cristina Cordeiro Silva e Ana Lucia Miranda Rocha.