Home Maranhão São Luís Assinado decreto para implantação do Maranhão Verde no Parque do Bacanga

Assinado decreto para implantação do Maranhão Verde no Parque do Bacanga

Assinado decreto para implantação do Maranhão Verde no Parque do Bacanga

Em comemoração ao Dia Mundial do Meio Ambiente, o governador Flávio Dino assinou decreto implantando o programa Maranhão Verde, no Parque Estadual do Bacanga, na capital. A data, lembrada nesta terça-feira, 5, é marcada por uma série de atividades pela preservação do meio.

Intitulado ‘Floresta Protetora dos Mananciais’, o projeto se destina a conservar e recuperar as matas ciliares e áreas de recarga no interior do Parque Estadual do Bacanga.”No Dia Mundial do Meio Ambiente, assino decreto fixando prazo para a implantação do Programa Maranhão Verde no Parque Estadual do Bacanga”, disse o governador Flávio Dino, lembrando também o grande avanço no saneamento da Lagoa da Jansen e nas praias da capital.

Para o secretário de Estado de Meio Ambiente e Recursos Naturais, Marcelo Coelho, o Programa Maranhão Verde é um programa de grande relevância para a preservação das áreas ambientais do estado e que o governador Flávio Dino está ampliando para demais espaços e parques ambientais. “O propósito é desenvolver ações estratégicas para preservação desta área, a exemplo das demais já contempladas. Com isso, o Governo reforça seu compromisso com a preservação das áreas verdes do Maranhão”, pontuou o secretário.

O programa Maranhão Verde foi criado por meio da Lei Estadual nº 10.595, de 24 de maio de 2017 e prevê ações de educação ambiental, capacitação da população local, produção de mudas de espécies nativas. Ainda, medidas de preservação, restauração, recomposição, recuperação de áreas, monitoramento e avaliação ambiental. Entre as atividades estão plantio de mudas nativas, isolamento da área para proporcionar a regeneração natural e enriquecimento de áreas utilizando a técnica da ‘nucleação’.

As ações do programa beneficiam ainda o Berço do Rio Itapecuru, no Parque Estadual do Mirador, com o projeto ‘Berço do Rio Itapecuru’. O objetivo é a conservação e recuperação das nascentes e cursos dos rios Itapecuru e Alpercatas.

Referência

O Dia Mundial do Meio Ambiente é comemorado anualmente em 5 de Junho, desde 1972. Tem objetivo de promover atividades de proteção e preservação do meio ambiente, e alertar governos e sociedade para ações de preservação. Foi em Estocolmo, no dia 5 de junho de 1972, que teve início a primeira das Conferências das Nações Unidas sobre o ambiente humano. No Brasil, se celebra ainda a Semana Nacional do Meio Ambiente, como consequência da data criada pela Organização das Nações Unidas (ONU), que para este ano definiu como tema ‘Acabe com a poluição plástica’.

Preservação

Com o programa Mais Saneamento e uma série de outras ações, a gestão estadual tem garantido a recuperação progressiva da Lagoa da Jansen, além de rios e praias do litoral maranhense. Apenas na primeira etapa, ano passado, foi retirado o equivalente a três piscinas olímpicas por dia, da Lagoa, fruto do esgoto depositado no local. Da área foram retirados 70 pontos de lançamento de esgoto.

Os dejetos são direcionados para a Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) do Jaracati. Uma ação inédita que une limpeza, eliminação de pontos de lançamento de esgotos, acesso a rede coletora e de tratamento e chances de recuperação da natureza da área. O trabalho é realizado pela Companhia de Saneamento Ambiental do Maranhão (Caema).

Com ações conjuntas da Caema e Sema, as praias que há anos tinham níveis perigosos de poluição agora apresentam melhoria nos índices de balneabilidade. Entre as medidas, retirada de pontos de lançamento de esgoto no Rio Calhau, que é de onde vem atualmente a maior concentração de esgoto para as praias; e também nos rios Pimenta e Claro.

A ampliação da rede de esgoto em São Luís e em todo o estado tem sido realizada desde 2015. Por meio do programa Mais Saneamento, o Governo do Maranhão está investindo R$ 350 milhões para que a Região Metropolitana melhore os índices de esgoto tratado.

Parques Ambientais

O Complexo Ambiental da Área de Proteção Ambiental (APA) do Itapiracó foi entregue ano passado. Para 2018, estão previstas a construção do Complexo Ambiental do Parque Estadual do Sítio do Rangedor, em São Luís; Parque Ambiental de Codó; Parque Centenário de Balsas; e Parque Ambiental de Bacabeira.A Sema planeja a criação e incremento de outros parques no interior do Maranhão, por meio de parcerias com as prefeituras, a exemplo de Timon, com os debates avançados.

“Os parques serão construídos para garantir a preservação ambiental da vegetação nativa e ecossistema natural, possibilitando a realização de pesquisas científicas, desenvolvimento de educação, contato com a natureza e turismo ecológico”, pontua o secretário da Sema, Marcelo Coelho. Ele reforça que está concluído o Plano Estadual de Educação Ambiental, ferramenta importante na construção de um ambiente sustentável e que será transformado em lei.

Na área de gestão de recursos hídricos, o Governo do Estado elabora o Plano Estadual de Recursos Hídricos, para nortear medidas de preservação das bacias hidrográficas estaduais, além de oportunidades de capacitação de recursos humanos para atender as demandas ambientais do Maranhão.