Home Maranhão Inovação e desafios no setor portuário maranhense serão discutidos em evento

Inovação e desafios no setor portuário maranhense serão discutidos em evento

Inovação e desafios no setor portuário maranhense serão discutidos em evento

Por: Mallú Ferreira/MA10

“Navegar é preciso, viver não é preciso”, disse o general romano Pompeu, no século I a.c, referindo-se à importância salvar a cidade de Roma de uma grave crise de abastecimento por meio das navegações, mesmo com limitações tecnológicas e os ataques de piratas que aconteciam na época.

Alguns séculos e várias diversas descobertas tecnológicas depois, a importância da navegação e da movimentação de produtos entre diferentes localidades ainda é um tema que deve ser discutido e aprimorado, para o crescimento econômico de uma nação. Assim acredita o professor Sérgio Sampaio Cutrim, que junto ao Grupo de Estudos em Logística, Negócios e Engenharia Portuária (GELNEP), da Universidade Federal do Maranhão, está organizando o I Simpósio de Gestão Portuária.

O evento acontece na Cidade Universitária Dom Delgado, em São Luís, nos dias 21 a 24 deste mês. O tema desta primeira edição é Inovação Portuária, que para o professor e coordenador do evento, é um dos grandes desafios para o setor atualmente.

O professor Sérgio Cutrim também falou sobre o evento em entrevista para o programa Na Hora D desta segunda-feira (21). Confira:

Inovação no setor portuário

“O setor portuário é tão importante, que 95% do comércio exterior brasileiro é realizado via portos. E do comércio internacional mundial, 80% é realizado via portos. No estado do Maranhão, ele está ligado diretamente e indiretamente aos maiores geradores de renda. É um setor tão relevante que hoje nós não podemos deixar de discutir a inovação aplicada à suas atividades”, diz  Sérgio. 

“O porto sempre foi visto como uma atividade muito operacional, sendo um ambiente de produção onde se faz transbordo de carga. Se importa, exporta. Coloca carga para dentro do navio, e tira de lá. Essa é a questão operacional. Só que a visão moderna hoje de um porto vai além disso: o porto é o elo integrador de toda uma cadeia logística e também é um vetor de crescimento de desenvolvimento econômico. Sem o sistema portuário, não há comércio internacional e não há uma boa parte do comércio do transporte nacional em um país continental como o nosso. Então essas duas funções são muito importantes. As cadeias logísticas funcionam atualmente em uma rede na qual todos os modais de transporte, o rodoviário, o ferroviário, marítimo, dutoviário e o aéreo têm que estar integrados e apenas o porto tem essa capacidade essencial e natural de ser um elo integrador entre todos eles. Então se ele não for eficiente, toda essa rede será ineficiente”, completa ele.

Ele esclarece que, atualmente, na gestão moderna de empresas, a inovação é vista como uma fonte de vantagem competitiva. Mas no setor portuário, ela ainda não foi institucionalizada. 

“Agora mais recentemente, está se passando por um momento de transição cultural, onde esses valores de inovação estão começando a ser aplicados no sistema portuário, mas ainda não está institucionalizado. Trabalhando com portos desde 2011, ano que criei o GELNEP, produzo trabalhos e já fui em congressos nacionais e internacionais, mas nunca vi uma área de pesquisa e desenvolvimento dentro de um terminal portuário. O que existem são atitudes isoladas, projetos isolados de pesquisa de desenvolvimento de tecnologia. Alguns terminais fazem isso. Mas não estão institucionalizados nem são programas de inovação, são projetos isolados.

Talvez o desafio mais importante seja implementar a cultura da inovação. Porque você mudar um equipamento, mudar um processo, isso é fácil. A empresa tem um recurso, ela vai e compra. Agora a cultura da inovação, que é um conjunto de hábitos, valores, diretrizes, que estarão presentes na forma como se faz a gestão aplicada à inovação, isso é mais difícil. A cultura da inovação tem que vir da alta administração para os níveis mais baixos, então os gestores que estão nesses postos mais altos da administração têm que entender que realmente a inovação é muito importante e que é importante institucionalizá-la”, aponta o professor. 

Relação Porto-Cidade

Professor e pesquisador em Gestão Portuária, Sérgio Cutrim

Doutor em Engenharia Naval e Oceânica pela Universidade de São Paulo (USP) e mestre em Administração (Universidade São Marcos), Sérgio Cutrim também aponta que as discussões sobre o sistema portuário, principalmente no Maranhão, são muito importantes para melhorar a relação chamada Porto-Cidade, que abrange todos os atores envolvidos no setor, entre eles portos públicos, as empresas privadas envolvidas, os portos privados, o corpo de trabalhadores e os sindicatos, além da academia.

“Os portos não são mais vistos como entes isolados da cidade e do sistema econômico. Então hoje classificamos e analisamos todos esses atores envolvidos nesse sistema como a relação porto-cidade”, diz o professor e especialista. 

Sobre essa relação, ele aponta que responsabilidade da academia é dar sua contribuição na discussão e fomento de conhecimento sobre o assunto. Comenta que a academia, principalmente a área da Administração, estava um pouco afastada no âmbito desta relação, e que por isso a proposta do evento foi de aproximar mais a academia do setor produtivo portuário.

Para isso, o simpósio conta com palestras, conferência, mesa redonda, apresentação de artigos científicos, minicursos e também visitas técnicas ao Porto do Itaqui e ao Terminal Marítimo Ponta da Madeira. “Ou seja, o evento contempla tanto o interesse dos acadêmicos que querem aprender e difundir conhecimento, como os praticantes, as pessoas que estão no mercado de trabalho ou desejam ingressar nele e precisam adquirir um certo nível de conhecimento. Eu tenho dois públicos, o público acadêmico e o público profissional”, afirma o Sérgio. 

Especialização

Para dar continuidade à produção e fomento de estudos e pesquisas no tema, a Universidade Federal do Maranhão também abriu inscrições para um curso de especialização em Logística Portuária. Interessados podem se inscrever até o dia 5 de junho, das 9 às 12h e das 15 às 20h, na Chefia do Departamento de Ciências Contábeis, Imobiliárias e Administração, localizada no Centro de Ciências Sociais, Bloco A, 3° andar, Cidade Universitária, no Bacanga.

O curso terá duração de 18 meses, com aulas quinzenais às sextas-feiras e aos sábados. Mais informações podem ser conferidas neste edital.