Home Brasil Abolição da escravatura no Brasil completa 130 anos

Abolição da escravatura no Brasil completa 130 anos

Abolição da escravatura no Brasil completa 130 anos

Neste domingo (13), a abolição da escravatura no Brasil completa 130 anos. O 13 de maio marca a assinatura da Lei Áurea pela princesa Isabel. A luta pela liberdade dos descendentes de africanos, no entanto, é bem anterior a essa data e começa já na chegada dos africanos às Américas, durante o tráfico transatlântico.

A resistência das comunidades quilombolas tornou possível a libertação de milhares de pessoas, mesmo sendo o Brasil um dos últimos países a proibir a escravidão. O professor Clébio Correia de Araújo, da Universidade Federal de Alagoas (Ufal), lembra a resistência do quilombo dos Palmares, na Serra da Barriga, ainda no século XVII.

“A sociedade senhorial alagoana é uma sociedade que vai viver quatro séculos aterrorizada. O grande terror da sociedade senhorial alagoana era o ressurgimento de Palmares. E daí que a violência contra qualquer forma de organização política em Alagoas, que tenha como mote a afirmação da negritude, seja tão grande. Porque essa elite sabe de quem nós descendemos”, explicou Clébio.

Após quase um século de resistência, o Quilombo dos Palmares tombou e os descendentes que sobreviveram à guerra se espalharam por todo o Brasil. Pesquisas recentes mostram a importância das comunidades quilombolas amazônicas para a luta pela abolição da escravatura no Brasil.

Para o professor da Universidade Estadual do Maranhão (Uema), Emmanuel Farias Júnior, os descendentes representavam a possibilidade de liberdade imediata tendo em vista a dificuldade de encontrá-los em meio à floresta amazônica. “Podemos citar o baixo amazonas, tem quilombos que duraram mais de 40 anos, no caso o Quilombo Maravilha, no rio Trombetas. A gente pode citar também o Quilombo do Piolho, no Rio Guaporé, na fronteira com a Bolívia, o Quilombo Tereza de Benguela, que é considerada rainha. Então, o quilombo foi um movimento de liberdade concreta”, detalhou o professor da Uema.

A abolição formal da escravatura completa 130 anos, mas as comunidades negras permanecem em luta pela sobrevivência. “Nós queremos viver queremos plantar, estudar. É manter o Quilombo dos Palmares como uma inspiração para a luta que foi e vai continuar sendo. Mas nós precisamos também lutar pelos lugares onde as pessoas estão em quilombos com mais de 3 mil pessoas e se inspiram na luta do Quilombo dos Palmares, na luta por liberdade” relatou Givânia Silva, integrante da Coordenação Nacional das Comunidades Quilombolas (Conaq).

Abolição no Brasil

Por mais de três séculos, quase 5 milhões de pessoas foram capturadas por traficantes de escravos e trazidas ao Brasil. Mas em 1845 tudo começou a mudar. O parlamento inglês aprovou a Lei Bill Aberdeen, que dava direito a qualquer navio britânico de prender navios brasileiros suspeitos de tráfico. A medida começou a diminuir a quantidade de negros e, no Brasil, surgiram movimentos que levariam à abolição.

Por: Agência Brasil