Home Cultura Jornalista doa parte do seu acervo para Museu do Reggae

Jornalista doa parte do seu acervo para Museu do Reggae

Jornalista doa parte do seu acervo para Museu do Reggae

O Museu do Reggae, órgão cultural vinculado à Secretaria de Cultura e Turismo (Sectur), recebeu nesta semana recortes de jornais e revistas do acervo pessoal pertencente ao jornalista maranhense Henrique Bóis.

O acervo poderá ser consultado a partir da próxima semana, no horário de funcionamento do museu, de terça a sábado, das 10h às 20h e aos domingos, das 9h às 13h.

Imagem: divulgação

“A doação não só do jornalista Henrique Bóis, como também de diversas pessoas que contribuíram com CD’s e fotos, por exemplo, é muito simbólica pois representa o sentimento de pertencimento que o maranhense tem em relação ao Museu do Reggae. Felizmente nós temos uma torcida muito grande a favor do museu. As pessoas querem contribuir para que ele fique cada vez melhor”, destacou o diretor do Museu do Reggae, Ademar Danilo.

O acervo é formado por peças colecionadas no período de efervescência do movimento reggae em São Luís, como recortes de revistas e jornais que focam no ritmo jamaicano e outros expoentes, como por exemplo o músico e compositor nigeriano, Fela Kuti. Os documentos datam da década de 80. 

“Achei útil doar esse material para que ele ficasse disponível a todos aqueles que se interessarem por essa história. Como neste período estava dentro das redações dos jornais, acompanhei de perto o momento em que o reggae se erguia na cidade.  Passei então a juntar recortes de jornais e colecionar revistas que focam no ritmo”, contou o jornalista, Henrique Bóis.

Dividido em seis ambientes, o Museu do Reggae homenageia o Clube Pop Som, o Clube União do BF – onde pode se encontrar totens com playlists do reggae nacional e internacional, o Clube Toque do Amor, além de um espaço reservado para a Tribo de Jah, a Sala dos Imortais – dedicada aos grandes nomes do reggae, também exposição de fotos, vídeos e CD’s e vinis, há também uma área com livros e computadores para pesquisadores da área e por último, o Clube Espaço Aberto, na área externa do prédio, onde há exposições temporárias sobre o reggae no Maranhão, no Brasil e no mundo.

Imagem: divulgação

Apoio

Além da doação, o Museu contará também com o apoio da Biblioteca Pública Benedito Leite, que fornecerá ao Museu do Reggae documentos que retratem a temática do ritmo jamaicano em formato digital, buscando documentos desde os anos 80 até os dias de hoje.