Tiago Bardal é chamado para depor sobre suposto desaparecimento de carga

O delegado Tiago Bardal presta um novo depoimento hoje (28), na Superintendência de Combate à Corrupção (Seccor), em São Luís. Ele está sendo investigado em outro esquema de contrabando devido uma carga apreendida, em agosto do ano passado, que não teve destino revelado, sendo interceptada por ele.

De acordo com informações da polícia, o proprietário chegou a ser extorquido por Bardal, que teria cobrado R$ 100 mil para um ‘acordo’. Como esse acordo não teria sido cumprido, as caixas de cigarro acabaram desaparecendo da sede da Seic.

O delegado foi chamado para depor ontem (27), mas ele informou que somente compareceria à Seccor quando o seu advogado fosse intimado sobre essa ocorrência. De acordo com a Adepol, representantes da categoria estavam fazendo uma visita ao delegado Bardal quando investigadores chegaram ao local com um documento relatando que Bardal deveria prestar depoimento na Seccor, mas que não era obrigado.

Tiago Bardal está preso desde o dia 2 de março e teve o habeas corpus negado pela Justiça do Maranhão. Bardal foi preso na Operação Combate à Corrupção que resultou no estouro de dois depósitos clandestinos com mercadorias contrabandeadas na zona rural da capital. Além do delegado, um coronel e policias militares e o ex-vice-prefeito de São Mateus (MA) foram presos por suspeita de integrarem a quadrilha de contrabando. Nessa operação, 18 mandados de prisão foram expedidos.

Leia também:

Mais de 10 mandados já foram cumpridos na Operação ‘Combate à Corrupção’

Informações da Operação Combate à Corrupção são passadas para a Justiça Federal

Concedido Habeas Corpus a advogado que acompanhava Tiago Bardal

Áudio vazado de vice ex-prefeito é investigado pela polícia