Home Maranhão Interditada distribuição de gás em condomínio de São Luís

Interditada distribuição de gás em condomínio de São Luís

Interditada distribuição de gás em condomínio de São Luís

O Corpo de Bombeiros Militar do Maranhão (CBMMA) interditou nesta sexta-feira (16) por tempo indeterminado a distribuição de gás do condomínio Pleno, localizado no bairro Jaracati, em São Luís. A suspensão do abastecimento aconteceu em virtude do risco constatado após vistoria do órgão realizada no local há cerca de duas semanas, que avaliou a execução da central de Gás Liquefeito de Petróleo (GLP).

O laudo que aponta as irregularidades foi entregue por uma comitiva do CBMMA composta pelo comandante da Diretoria de Atividades Técnicas (DAT), coronel Ernesto França, e pelos analistas de projetos, os tenentes Emerson e Abreu. Participaram da reunião, além do Corpo de Bombeiros, representantes da construtora Cyrela, representantes da empresa Solis, que administra o condomínio, e um grupo de moradores.

Segundo o comandante do DAT, entre os problemas encontrados no local estão: falhas no distanciamento da tubulação de gás, em relação ao sistemas elétrico e de água, e irregularidades no material que protege esses tubos, já que devem ser envoltos em canos do tipo “tubo luva”, que impede que o gás se espalhe.

Conforme explicou o coronel França, o gás não pode passar por locais onde ele possa acumular, promovendo um vazamento. Para compor o relatório, são levadas em consideração as normas da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) e também do Código de Segurança Contra Incêndio e Pânico no Estado do Maranhão, o COSCIP.

As recentes visitas do órgão, e também da Defesa Civil Estadual e da Secretaria Municipal de Urbanismo e Habitação, fazem parte de uma força-tarefa encabeçada por uma comissão do Ministério Público do Maranhão (MPMA). A visita do Corpo de Bombeiros estava prevista desde que surgiram denúncias que estão sendo acompanhadas pelo MPMA.

A empresa Cyrela tem, a partir da entrega do documento, cinco dias para resolver os pontos citados no laudo entregue pelos bombeiros. Caso descumpra, deve ser arbitrada multa e há o risco, inclusive, de interdição total do condomínio. Assim, com a notificação, devem ser retirados nos próximos dias os vasilhames de gás.

Às 15h deste sábado está prevista uma reunião envolvendo moradores do condomínio, onde será detalhado como os condôminos vão lidar com a suspensão do serviço. O Pleno possui seis torres e cerca de 720 unidades.

Por meio de nota, a empresa Cyrela informou que está trabalhando junto às autoridades para encontrar uma solução. Confira a nota na íntegra:

Em atenção aos últimos acontecimentos no Condomínio Pleno Residencial, a Cyrela informa que trabalha em conjunto com as autoridades locais para encontrar a solução mais adequada, garantindo a segurança dos moradores e em cumprimento aos requisitos dos órgãos competentes.

A companhia dará o suporte necessário ao desconforto ocasionado pelo bloqueio no sistema de GLP e reitera que o condomínio não corre riscos de segurança. Serão realizadas reuniões regulares com o Síndico e Administração do Condomínio Pleno Residencial para que os planos de trabalho da construtora sejam repassados aos moradores, mantendo uma comunicação próxima e esclarecedora.

A Cyrela reforça seu compromisso em solucionar os itens em curso, contando com a contínua confiança dos seus clientes.