Home Maranhão São Luís Suposto caso de assédio sexual cometido por radialista é encaminhado à justiça

Suposto caso de assédio sexual cometido por radialista é encaminhado à justiça

Suposto caso de assédio sexual cometido por radialista é encaminhado à justiça

Inquérito policial que apura as denúncias de casos de assédio sexual, supostamente cometidos pelo radialista Samir Ewerton, foi concluído nesta quinta-feira (15), em São Luís. O suspeito foi ouvido pela delegada Wanda Moura, titular da Delegacia Especial da Mulher (DEM), responsável pelas investigações. O caso foi encaminhado à Justiça.

Apesar de confirmar contato com as mulheres, o suspeito negou ter enviado mensagens de assédio para as vítimas que o denunciaram. O caso veio à tona quando uma jornalista divulgou nas redes sociais as conversas em que o radialista propõe relações sexuais enquanto conversava sobre propostas de emprego.

Ainda nas redes sociais outras mulheres afirmaram terem sido vítimas do assédio do radialista. O inquérito foi instaurado no dia 16 de fevereiro de 2018, após nove registros de ocorrências contra o radialista.

Relembre o caso

Uma jornalista maranhense denunciou um caso de assédio que sofreu após entrar em contato com um radialista que teria se apresentado como recrutador de uma oferta de emprego que a interessava.

Após receber o anúncio da vaga pelas redes sociais, ela enviou o currículo para o radialista, que teria pedido o Whats App dela. A partir desse momento, ela alega que passou a ser assediada com a promessa de conseguir a vaga em troca de favores sexuais. “Ele me respondeu de forma nada profissional. Pelo teor da conversa, ele foi fazendo perguntas esdrúxulas, de teor altamente sexual”, afirmou a jornalista.

Por meio de uma conta do Facebook, o radialista publicou uma nota de esclarecimento desmentindo o caso, que chamou de boato. Ele alega ter ficado sem celular durante os dias em que a conversa teria acontecido e que fez um boletim de ocorrência sobre o caso.

Por conta da denúncia e da repercussão do caso, a empresa onde o radialista trabalhava decidiu demiti-lo da função que exercia.