Caso Nenzim: Finalizada reconstituição do crime

Foi finalizada, nesta sexta-feira (2), a reconstituição do crime que vitimou o ex-prefeito de Barra do Corda, Manoel Mariano de Sousa, o Nenzim. Os trabalhos contaram com a atuação de equipes da delegacia regional do município, da Superintendência de Polícia Civil do Interior (SPCI), da Superintendência de Homicídios e Proteção à Pessoa (SHPP), e do Instituto de Criminalística e Medicina Legal (ICRIM). Mariano Jr, filho de Nenzim e principal suspeito do crime, não participou da reconstituição. Os advogados conseguiram liminar que o isentou de participar de reconstituição, por motivos de segurança.

Desde a tarde de ontem, as equipes trabalhavam para excluir versões incompatíveis e para chegarem à versão mais provável de como tudo ocorreu.

Os trabalhos dos peritos descarta todas as alegações do principal suspeito do crime, Manoel Mariano de Souza Junior, filho da vítima, e confirmam a presença do vaqueiro Luzivan no local dos fatos.

Relembre o caso

Nenzim foi morto com um tiro no pescoço em dezembro do ano passado, dia em que o ex-prefeito faria a contagem das cabeças de gado da sua fazenda após suspeita de roubo do rebanho. Em uma das fazendas deveria haver 635 cabeças de gado. No entanto, apenas 81 bois teriam restado no local.

Mariano Júnior, conhecido como “Júnior Nenzin”, filho do ex-prefeito, está preso preventivamente por suspeita de envolvimento no assassinato do próprio pai. Ele teria participado do crime por questões financeiras relativas à herança e furto de gado cometido por ele.

Além disso, outros dois homens suspeitos de participação no crime também estão presos. Os dois suspeitos, que trabalhavam para a família do ex-prefeito, são apontados como cúmplices na morte de Nenzin.