Home Maranhão Imperatriz Três assassinatos são registrados em Imperatriz

Três assassinatos são registrados em Imperatriz

Nesta quinta-feira (22), três pessoas foram assassinadas em Imperatriz. Com esses crimes, sobe para 13 o número de homicídios em fevereiro. Nos três casos, não há presos e nem informação sobre autoria.

Um morador de rua, identificado como Raimundo Nonato Muniz, de 62 anos, foi assassinado a facadas durante a madrugada. De acordo com a Polícia Civil, o crime aconteceu na Avenida Beira Rio, próximo ao setor das peixarias.

Raimundo circulava pelas ruas de Imperatriz desde novembro, acompanhado de uma mulher, também moradora de rua. O crime está sendo investigado pela Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), que é comandada pelo delegado Praxísteles Martins. O corpo de Raimundo Nonato está no Instituto Médico Legal (IML) de Imperatriz, aguardando familiares para fazer o reconhecimento.

Segundo a Polícia Militar, por volta das 19h, um homem numa bicicleta tentou tomar de assalto o celular de uma jovem no Residencial Recanto Universitário, na área da “Grande Vila Nova”, sendo que o namorado da vítima, que vinha logo atrás, presenciou a ação criminosa e matou o desconhecido a facadas e a tiros. A vítima foi identificada como Marcone Sousa Nascimento.

O namorado da vítima efetuou golpes contra o assaltante e terminou de consumar o homicídio com a própria arma de fogo usada no assalto. O casal ainda não foi identificado e a polícia investiga o caso.

“Até o momento, não conseguimos identificar o indivíduo que foi morto. Ele encontra-se no IML aguardando identificação. Vamos aguardar as circunstâncias, mas provavelmente o namorado irá responder por homicídio. Muito embora tenha agido em legítima defesa de terceiro”, disse o delegado regional, Eduardo Galvão.

O terceiro homicídio aconteceu por volta das 19h30, quando a Polícia Militar foi acionada sobre um assassinato em frente a um condomínio, no bairro Nova Imperatriz. A vítima foi identificada como Erasmo Dias dos Santos, 53 anos.  

Erasmo foi condenado a 28 anos de prisão por tráfico internacional de drogas, na cidade de Porto Velho, em Roraima. A vítima tinha envolvimento com roubos de veículos e financiamento de assaltos a banco.

“Dois indivíduos chegaram em um veículo modelo Hillux, e efetuaram vários disparos contra ele, junto com uma segundo vítima que não foi identificada”, comentou Galvão.