Home Maranhão São José de Ribamar Desembargador visita área com camponeses ameaçados e acaba sendo intimidado

Desembargador visita área com camponeses ameaçados e acaba sendo intimidado

Desembargador visita área com camponeses ameaçados e acaba sendo intimidado

O Desembargador do Tribunal de Justiça do Maranhão Raimundo Nonato Magalhães Melo decidiu visitar de surpresa a Comunidade de Engenho, localizada em São José de Ribamar. De acordo com informações, ele acabou sendo surpreendido com a presença de jagunços no local.

Ao chegar na área, o desembargador conversou com os camponeses, que relataram sofrer ameaças. As famílias receberam ordem de despejo, devido a uma reintegração de posse que é questionada pelos moradores.

Segundo o desembargador, pelo menos quatro carros apareceram no local com intuito de assustá-lo. Além disso, fogos de artifícios foram utilizados pelos suspeitos para afastá-lo da área.

Na quarta-feira (14) foi concedida uma cautelar, solicitada pela Defensoria Pública do Estado, que suspende o despejo que estava marcado para ocorrer na manhã desta quinta-feira (15).

Veja trecho da decisão:

“Registre-se, por oportuno, que antes desta decisão, este Plantonista, com força policial apócrifa, tomou a necessária cautela de ir até o local objeto do conflito e conhecer a área questionada e as pessoas que ali residem.

E, ao chegar, notou-se o medo e a desconfiança das pessoas que ali estavam, sentimentos estes típicos de pessoas em conflitos agrários, aliados a presente onipotência do ora Requerido que lá se encontrava, inclusive já preparando o terreno com maquinário para o iminente cumprimento da reintegração de posse ora questionada.

Ademais, quando ali me encontrava, misteriosamente, surgiram 3 ou 4 carros favoráveis ao Requerido, cujos ocupantes muito se assemelhavam à seguranças por ele contratados, com o objetivo exclusivo, ao que parece, de assustar este Magistrado.

Se isso não fosse suficiente, posteriormente a chegada dos citados veículos, imediatamente começaram a estourar fogos de artifícios para, muito provavelmente, denunciar a presença deste Magistrado e dos policiais que lhe acompanhavam.

Ora, se esse Magistrado, com o apoio de força policial foi subjugado pelo Requerido, imagina-se os assentados da Comunidade Engenho que estão a sofrer toda sorte de dissabor e risco por permanecer em uma área cuja propriedade está sendo questionada.”

Violência no campo

Diversos casos de violência são registrados anualmente no Maranhão. Segundo dados da Comissão Pastoral da Terra, apenas em 2015, 40 famílias foram expulsas de suas terras. Também foram registradas 3669 ameaças ou tentativas de expulsão de camponeses em todo o estado. Os dados apontam que, no mesmo ano, foram também registradas 131 casas e 225 roças destruídas, além de seis assassinatos, número que aumentou no ano seguinte. Em 2016, foram 13 assassinatos no campo.