Justiça acata condenação de agressor da advogada Ludmila Rosa por tortura

A Justiça do Maranhão acatou a denúncia do Ministério Público do Maranhão (MP-MA) contra Lúcio André Silva Soares que teria agredido a ex-esposa, a advogada Ludmila Rosa, por conta de uma crise de ciúmes no ano de 2017. O juiz Clésio Coelho Cunha, da 1ª Vara Especializada em Violência Contra Mulher, acatou a denúncia do MP, que pede a condenação de Lúcio André pelos crimes de tortura e dano qualificado por violência. Além disso, o MP-MA solicita que o agressor seja condenado a pagar indenização por danos morais e materiais.

Na denúncia, é narrado como a violência aconteceu em 12 de novembro de 2017. Enquanto tentavam uma reaproximação como casal, que tem um filho juntos, Lúcio teve uma violenta crise de ciúmes. Eles saiam de um bar na Lagoa da Jansen quando Lúcio exigiu verificar as redes sociais e começou a agredir a vítima. Durante todo o caminho, até o condomínio da vítima, o agressor teria lhe infligindo agressões com socos e cotoveladas, além de ameaçar verbalmente matar Ludmilla.

Ao chegar ao local onde ela mora, ele ainda teria ameaçado matá-la, mas os gritos de socorro chamaram a atenção de vizinhos, que o renderam até a chegada da polícia.

Desde que a prisão preventiva do suspeito foi decretada, ele não foi mais encontrado.

Lúcio Genésio já havia agredido a advogada em outras ocasiões. Em uma das vezes, ela estava grávida do único filho do casal. Ele teve a prisão preventiva decretada pela Justiça, mas ainda não foi preso. No dia da agressão, ele havia sido preso, mas conseguiu ser solto após pagar fiança de mais de R$ 4 mil.

Em reportagem da TV Difusora, Ludmilla conta que após a violência, tem sofrido ataques de pânico e deu detalhes sobre o caso.

Leia mais sobre o caso

Advogados entram com 3º pedido de Habeas Corpus para Lúcio Genésio

Ludmilla Ribeiro diz que agora sofre de ataques de pânico e pede justiça