Home Maranhão Imperatriz Pais de alunos denunciam problemas em creches

Pais de alunos denunciam problemas em creches

Pais de alunos denunciam problemas em creches

Em Imperatriz, pais de alunos denunciam os problemas de creches e se preocupam com a situação dos filhos. Na Creche Escola Jair Rosignole, no bairro Santa Inês, os alunos estão sem aula há três semanas. Já na Creche Municipal Cantinho do Saber, no bairro Vila João Castelo, há falta de carteira para as crianças. Além disso, outra denúncia é que a escola não estaria entregando merenda aos alunos.

O advogado Wagne Lima é pai de uma aluna da creche Jair Rosignole e afirma que as aulas não tiveram início porque não tem pessoas para fazer os serviços gerais. Os profissionais foram demitidos em dezembro de 2017 e o seletivo da categoria foi feito no dia 21 de janeiro deste ano, um dia antes de iniciarem as aulas.

“Fomos informados pelos funcionários da escola que dia 14 de dezembro (de 2017), os funcionários seletivados da limpeza foram demitidos. E somente agora, 21 de janeiro (2018), um dia antes do retorno às aulas, é que houve um seletivo. Agora, fomos informados que os novos seletivados estão sendo chamados, mas que não há previsão garantida de quando serão empossados em seus cargos”, relata ele.

Wagne ainda revela que alguns pais de alunos estão impossibilitados de irem ao trabalho, já que os filhos ficam em casa por conta da falta de aula. Sem contar com o atraso do ano letivo. “Vários pais estão sem trabalhar, e na verdade, quem perde mais são as crianças, que já estão com o ano letivo comprometido. Como vai ser pra repor? Então, no mínimo, faltou gerenciamento por parte da secretaria. Fica aqui um apelo para que os administradores tratem melhor, com respeito e carinho, as nossas crianças”, solicita.

O neto da dona de casa Maria Alves estuda no Cantinho do Saber. Ela conta que desde a volta às aulas, as crianças saem mais cedo da creche. “Eles dizem que não tem merenda e não tem funcionário para fazer. É um descaso”.

Segundo pais de alunos, o período letivo era pra ter iniciado em 22 de janeiro, mas até agora as crianças estão sem acesso à educação. Outro problema é de infraestrutura. De acordo com o vereador Ricardo Seidel (Rede), na última vistoria feita na creche, dia 3 de fevereiro, a lista de alunos matriculados não coincidia com o número de carteiras disponíveis por sala.

“No primeiro período, vinte e duas crianças estavam matriculadas, e tinha apenas dezessete carteiras. Ou seja, nós temos seis crianças sentadas no chão, sem o local apropriado. Quanto à merenda escolar, foi informado que o material para as merendas chegou, mas não tem funcionários que executem a função”, disse o vereador.

Foi solicitada nota à Prefeitura sobre a situação das creches, mas até o fechamento desta matéria não obtivemos resposta.