Home Polícia Outro candidato ao concurso da PM morre após passar mal em teste físico

Outro candidato ao concurso da PM morre após passar mal em teste físico

Outro candidato ao concurso da PM morre após passar mal em teste físico

Outro candidato ao concurso da Polícia Militar faleceu após passar mal durante o Teste de Aptidão Física (TAF), realizado em São Luís.

Na tarde de ontem (2), o cirurgião dentista Marcone Ferreira Cordeiro passou mal durante o teste e acabou desmaiando. No momento, ele foi levado para a Unidade de Pronto Atendimento do Bacanga.

Ainda no hospital, o homem passou a madrugada em estado grave e morreu na manhã deste sábado.

Ainda não foi confirmada a causa da morte de Marcone.

Segundo familiares da vítima, o corpo já foi liberado e ele está sendo velado na Vila Esperança.

Sobre o caso, o Cebraspe, que é responsável pela organização do concurso, emitiu a seguinte nota:

O Cebraspe lamenta a morte do candidato Marcone Ferreira Cordeiro, ocorrida na madrugada deste sábado. Este Centro aguarda informações sobre a causa da morte e esclarece que o referido candidato apresentou atestado médico, emitido por médico com registro no CRM, no qual foi declarado que ele estava apto especificamente à realização do teste de aptidão física desse concurso.

Os testes físicos realizados pelo Cebraspe são sempre acompanhados por profissionais médicos e enfermeiros, além de ambulância equipada com mini UTI móvel e outros recursos de urgência e emergência, para atendimento médico imediato, inclusive equipamento desfibrilador e balões de oxigênio.

Esclarece-se, ainda, que o teste físico do concurso público da PMMA tem rigor menor que os realizados em certames da mesma natureza e que a fase visa, tão somente, assegurar que os candidatos aprovados tenham condições físicas mínimas para desempenhar as atribuições do cargo.

O Cebraspe reitera seu pesar e se solidariza com os familiares do candidato.

Por sua vez, a Secretaria de Estado da Saúde (SES) informa que foi assegurada toda assistência exigida pelo caso, na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Itaqui-Bacanga. Informa, ainda, que o Serviço de Verificação de Óbito (SVO) emitirá laudo definitivo com a causa da morte.

Este é o segundo caso no qual um candidato morre após o teste físico do concurso. Na última terça-feira (30), veio a óbito a jovem de 24 anos Daniele Nunes Silva, que trabalhava em Barra do Corda e estava em São Luís para realizar esta etapa do concurso.