Home Notícias Mundo Trump dá sinal verde para publicação de polêmico relatório sobre trama russa

Trump dá sinal verde para publicação de polêmico relatório sobre trama russa

Trump dá sinal verde para publicação de polêmico relatório sobre trama russa

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, deu sinal verde nesta sexta-feira (2) para que o Congresso publique um relatório republicano que detalha supostos abusos na investigação federal sobre a trama russa, e não descartou que possa despedir por isso o número “dois” do Departamento de Justiça, Rod Rosenstein.

Durante um ato na Casa Branca, Trump confirmou aos jornalistas que tinha autorizado a desclassificação do memorando e o enviou ao Congresso, e agora depende do Comitê de Inteligência da Câmara dos Representantes publicá-lo.

“Desclassificamos, enviamos ao Congresso e eles farão o que têm que fazer”, disse Trump aos jornalistas ao começo de uma reunião com desertores norte-coreanos na Casa Branca.

“É terrível, é uma vergonha o que está acontecendo neste país. Muita gente deveria se sentir envergonhada de si mesma”, acrescentou.

O presidente americano não descartou demitir Rosenstein, que supostamente será acusado de negligência no relatório, e que tem poder sobre a investigação do procurador especial Robert Mueller sobre os supostos laços entre a Rússia e a campanha de Trump nas eleições presidenciais de 2016.

“Deduzam os senhores o que vai acontecer”, se limitou a responder Trump quando os jornalistas perguntaram se a publicação do relatório republicano torna mais provável a demissão de Rosenstein e se ainda tem confiança nesse funcionário.

A oposição democrata advertiu que Trump pode usar a publicação do memorando para desacreditar e inclusive despedir Mueller, algo que não pode fazer agora sem a autorização de Rosenstein, por isso o presidente pode querer se desfazer primeiro desse funcionário e depois do procurador especial.

O Comitê de Inteligência da Câmara dos Representantes – cujo presidente, o republicano Devin Nunes, redigiu o relatório junto com a sua equipe – publicou pouco depois o documento.

Segundo a imprensa local, o relatório alega que o ex-espião britânico que escreveu um famoso dossiê cheio de detalhes sórdidos sobre Trump, Christopher Steele, deu informações falsas ao FBI.

Com base nessas informações, no primeiro semestre de 2017, o FBI decidiu expandir suas atividades de vigilância sobre Carter Page, que até setembro de 2016 assessorou a política externa da campanha eleitoral de Trump, por suspeitar que ele atuou como agente russo.

Rod Rosenstein, o “número dois” do Departamento de Justiça, que tinha autoridade sobre a investigação do FBI sobre a trama russa, solicitou então que um juiz efetuasse essa espionagem.

O memorando republicano acusa Rosenstein e o FBI, de acordo com relatórios de imprensa, de não ter informado corretamente o juiz que autorizou a vigilância sobre os motivos para pedi-la.

Agência EFE