Home Maranhão Acusado de envolvimento em morte de ex-prefeito é condenado a 18 anos de prisão

Acusado de envolvimento em morte de ex-prefeito é condenado a 18 anos de prisão

Acusado de envolvimento em morte de ex-prefeito é condenado a 18 anos de prisão

Nesta segunda-feira (22), foi condenado em júri popular Valter Luiz Bastos Cantanhede, acusado de participar do homicídio do ex-prefeito de Poção de Pedras, Raimundo da Mota Silva (conhecido como Borges), em 1992. Valter Luiz Bastos Cantanhede “Valtinho” por homicídio duplamente qualificado a  18 anos e 8 meses de reclusão em regime fechado pela morte de Raimundo Mota da Silva. Terminada a sessão foi decretada a prisão do réu que segue para o complexo penitenciário de Pedrinhas. O juiz que presidiu o júri foi José Ribamar D’Oliveira Costa Júnior e o julgamento terminou às 19h tendo inicio às 8h30 da manhã no Fórum Des. Sarney Costa.

Na época, Borges estava afastado da Prefeitura. No lugar dele, comandou o então vice-prefeito, Francisco de Alencar Sampaio, conhecido como Chicão. Os dois estariam brigando pelo cargo. Por isso, ainda de acordo com a acusação, Chicão e o então tesoureiro, Romão Bizarras Vilarindo, encomendaram a morte de Borges.

De acordo com o promotor público Aroldo paiva, Valter é quem teria executado o crime junto com outros dois homens: Rogério Furtado de Sousa, que era chefe de gabinete em Poção de Pedras e Cosme José Teixeira, que não tinha cargo na Prefeitura mas recebia gratificações de Chicão. A dupla foi condenada no ano passado a 28 anos e 15 dias de reclusão, em regime fechado.

Relembre o caso

Quase 26 anos atrás, Raimundo da Mota Silva Silva foi sequestrado, espancando e morto com um tiro na mandíbula. O crime aconteceu aqui na capital, São Luís. A demora no julgamento foi tão grande que tanto o então vice-prefeito quanto o então tesoureiro, apontados como mandantes nunca foram julgados e o crime prescreveu. No caso do Valter, o crime só não está prescrito por interrupções no processo.