Home Cultura Saxofonista paraense ministra oficina e se apresenta em SL

Saxofonista paraense ministra oficina e se apresenta em SL

Saxofonista paraense ministra oficina e se apresenta em SL

Nestas quinta e sexta-feira, a atração da 5ª edição da Mostra Sesc de Música traz como atração será o paraense Elias Coutinho. No dia 21 de dezembro, o compositor ministra a oficina de “Música para músicos” destinada a compositores, arranjadores musicais e estudantes da área. A ação formativa ocorre em dois horários, das 8 às 12h e das 14 às 18h. Inscrições no local. Já no dia seguinte, 22, o público vai acompanhar um concerto clássico, às 19h. Ambas as atrações acontecem na Escola de Música do Estado do Maranhão (EMEM), com entrada franca.

Serão disponibilizadas 30 vagas para a oficina e os interessados podem se inscrever no local. Nela, Elias Coutinho vai apresentar um pouco do seu conhecimento com o saxofone, além de mostrar a arte da improvisação.

No concerto do dia 22 de dezembro na EMEM, o compositor vai levar para o palco o mesmo talento que o fez ser um músico de sucesso, conhecido e premiado, principalmente por evidenciar em suas músicas a riqueza instrumental da região norte, berço do seu talento. Para a apresentação, o público deve retirar os ingressos com no mínimo 30 minutos de antecedência.

Elias Coutinho teve os primeiros contatos com a música ainda na infância, na igreja onde se congregava, e aos nove anos conheceu o instrumento que hoje dar sentido a sua vida, o saxofone. É bacharel em música pela Universidade Estadual do Pará, onde começa a se destacar até compilar conhecimento ao lado de grades nomes da música, entre eles o saxofonista internacionalmente conhecido, o parisiense Alex Terrier.

A Mostra Sesc de Música tem como objetivo contribuir para o desenvolvimento da produção musical autoral do Maranhão, especialmente àquela que resulta de processos de pesquisa e que estão relacionadas ao aprofundamento do uso da linguagem musical, bem como difundir a produção que se contrapõem aos modelos já consolidados e excessivamente difundidos na mídia, com ênfase na valorização da cultura local e das linguagens contemporâneas.