Home Maranhão Imperatriz Fechamento de escola municipal é anunciado, pais de alunos criticam

Fechamento de escola municipal é anunciado, pais de alunos criticam

Fechamento de escola municipal é anunciado, pais de alunos criticam

Os estudantes da escola Frei Damião, localizada no Parque Alvorada 2, foram surpreendidos na sexta-feira (08) com o anúncio de fechamento da escola. De acordo com os funcionários da escola, a prefeitura não teria mais dinheiro para pagar o aluguel do prédio. São 282 alunos que estudam na escola que segundo a secretaria de educação, não tem a documentação necessária.

Uma comissão formada pela Secretaria de Educação se reuniu com professores e pais para fazer o anúncio. Ao solicitar a assinatura dos pais, houve recusa.

Moradores do Parque Alvorada afirmam que a Escola Frei Damião é a única da região que oferece o ensino fundamental maior (de 6° ao 9° ano), e o fechamento prejudicará a educação das crianças da região.

“Eu acho que essa escola não deve fechar. Eu já estou acostumada em estudar aqui há bastante tempo. Nós vamos ficar prejudicados”, diz a estudante Maria Clara.

Um dia antes do anúncio do fechamento da escola, os pais de alunos se reuniram para protestar contra a possível decisão da prefeitura. Na tarde desta terça-feira (12), mais uma vez a comunidade manifestou indignação com a decisão. Moradores alegam que o bairro não tem nada. “E o pouco que tem ainda querem tirar”. Eles não aceitam a decisão.

A presidente da associação dos moradores do bairro, Dora Barreto, afirma que a situação é um retrocesso. “A gente quer saber o porquê dessa decisão do prefeito, de fechar as escolas, e principalmente essa escola do bairro Parque Alvorada. Os pais não estão aceitando, não temos ruas, transportes e nem condições para remanejar essas crianças. Um escola que tem 28 anos e não ter documentação, é um cúmulo uma afirmação dessa”, diz a presidente ao afirmar a existência da documentação da escola. “Isso é retroceder”, finaliza.

Para a dona de casa Maria Cecília, a situação é complicada. “Aqui só tem essa escola. E eles nunca fizeram nada, nenhum posto médico, só ela escola, e ainda quer fechar. Meu neto vai ficar sem estudar. Eu não posso levar ele para outro lugar”, diz ela preocupada.