Home Polícia Ministro nega liberdade para acusado de matar Iarla Barbosa

Ministro nega liberdade para acusado de matar Iarla Barbosa

Ministro nega liberdade para acusado de matar Iarla Barbosa

O Ministro Ribeiro Dantas, do Superior Tribunal de Justiça  (STJ), negou habeas corpus para o ex-tenente do Exército, José Ricardo da Silva Neto. Ele é acusado de matar a estudante maranhense Iarla Barbosa em junho deste ano, após saírem de um bar na zona Leste de Teresina. A irmã dela, Ilana Lima, que também estava no carro, foi atingida de raspão.

A defesa do ex-tenente alega que o “decreto prisional foi mantido com base na gravidade em tese do delito, sem demonstração de qualquer elemento concreto extraído dos autos, na presunção de periculosidade e suposta reiteração”.

Esse é o 2º habeas corpus impetrado pela defesa de José Ricardo. O ministro levou em consideração a repetição do pedido, idêntico ao anterior, e negou conhecimento.

“Em consulta à base de dados processuais desta Corte, verifica-se que esta impetração traz pedido idêntico ao deduzido no RHC 88.670-PI, e se insurge contra o mesmo acórdão do Tribunal de Justiça do Estado do Piauí (HC n.º2017.0001.007190-0). Desse modo, tratando-se de mera reiteração de outro feito já deduzido nesta Corte, é o caso de não conhecimento”, afirmou na decisão.

O ex-tenente foi ouvido na quarta-feira (22) durante audiência no Fórum Criminal e disse que só estava armado para proteger a namorada na volta pra casa. Ele negou também ter baleado a irmã de Iarla de forma proposital. No momento, a irmã de Iarla também deu depoimento, narrando como foram os últimos momentos de vida da jovem. Ela contou inclusive que Iarla confessou a intenção de terminar o namoro no dia em que foi morta.

Ao todo foram arroladas 11 testemunhas de defesa do réu e oito pelo Ministério Público. A audiência era para definir se o ex-tenente vai para júri popular ou não, no entanto, por conta do horário avançado, o juiz Antônio Noleto acatou o pedido da acusação e defesa de enviar as alegações finais por escrito em dez dias, a contar do recebimento do processo pelo MPE, representando na ocasião pelo promotor Ubiraci Rocha. Só após as alegações o magistrado vai se pronunciar.

Relembre o caso

Iarla Lima Barbosa, de 25 anos, foi assassinada pelo namorado.

No dia 19 de junho deste ano, Iarla Barbosa foi morta pelo namorado, o tenente do Exército José Ricardo da Silva Neto. O casal saiu com a irmã de Iarla e uma amiga dela e, quando estavam de saída, José Ricardo efetuou os disparos. A namorada morreu no banco da frente do veículo. A irmã dela e uma amiga também foram atingidas e sobreviveram. Elas conseguiram fugir do carro.

O acusado foi preso horas depois do crime no apartamento que reside, no bairro Santa Isabel, zona Leste de Teresina.

Dias depois, em 22 de junho, o Juiz Arilton Rosal Falcão, da Central de Inquéritos, converteu a prisão em flagrante do tenente em prisão preventiva.

 

Com informações do portal Cidadeverde.com