Home Maranhão Assassino confesso do DJ Yago Sik, Lucas Albo irá a júri popular

Assassino confesso do DJ Yago Sik, Lucas Albo irá a júri popular

Assassino confesso do DJ Yago Sik, Lucas Albo irá a júri popular

Lucas Albo de Oliveira, acusado de matar o dj maranhense Yago Sik, se tornou réu por homicídio triplamente qualificado. Agora, o acusado será julgado pelo júri popular, mas a data ainda não foi marcada. A ação é do Tribunal de Justiça do Distrito Federal e dos Territórios (TJDFT), que acatou integralmente a denúncia do Ministério Público do DF e Territórios (MPDFT).

Yago foi assassinado em 2 de julho deste ano, em Brasília (DF). No dia da sua morte, ele estava em uma festa durante uma festa, quando se envolveu em briga com Lucas. Em um documento oficial, divulgado na última terça-feira (14), o juiz afirma que o réu “demonstrou periculosidade, atingindo intensamente a paz social de toda uma comunidade”, apontando que “Em liberdade, portanto, é uma ameaça à ordem pública”.

O advogado de acusação, Rodrigo Vicente, explica que a primeira fase do processo é para avaliar se o crime deve ser julgado em um júri popular. “Os requisitos para essa decisão são: se há crime contra a vida e se há indícios de autoria por parte do réu”, diz. A acusação afirma ainda que há provas irrefutáveis de que o réu é culpado do crime. A defesa deve recorrer para que Lucas não vá a júri popular.

Relembre o caso

O crime aconteceu na madrugada de 2 de julho, por volta das 5h30. Testemunhas afirmam que o assassino teria agredido a ex-namorada, Marcela Martinelli Brandã, dentro de uma festa, e Yago teria defendido a moça. Enquanto mandava mensagens para Marcela, Lucas aguardava por Yago do lado de fora da festa, no corredor frontal do Conic.

Assim que o DJ deixou o local, levou dois tiros. No momento, ele estava de mãos dadas com a então namorada, Bárbara Rodrigues. Câmeras de segurança do prédio gravaram a tocaia e o momento do assassinato.

O acusado foi indiciado por homicídio duplamente qualificado, por motivo torpe e por uso de recurso que dificultou a defesa da vítima, além de ameaça e injúria. Se condenado, Lucas pode pegar de 15 a 30 anos de prisão.

Com informações do portal Correio Braziliense

Leia também

Em audiência, acusado da morte de maranhense não se pronuncia

Justiça ouve testemunhas sobre assassinato de maranhense

Assassino de maranhense é transferido para penitenciária