Home Polícia Marcha contra o abuso infantil relembra caso da menina Alanna

Marcha contra o abuso infantil relembra caso da menina Alanna

Marcha contra o abuso infantil relembra caso da menina Alanna

Foi realizada, na tarde de hoje (10), a “Marcha contra Violência e Abuso Infantil”, que reuniu cidadãos de Paço Lumiar em um protesto que toma como exemplo o caso da menina Alanna Ludmila, encontrada morta  após desaparecer no começo deste mês. Ela foi violentada e assassinada pelo próprio padrasto, Robert Serejo.

A concentração teve início às 15h, na Escola Padre Paulo Sampaio (Titanic), localizada na Avenida 8, do Maiobão.  A marcha então começou  às 15h30 e seguiu em direção à Escola Sagrada Família, onde foi realizado um Culto Ecumênico.

A marcha contou com o apoio da Prefeitura de Paço do Lumiar.

Caso Alanna

Alanna  Ludmilla Borges Pereira, de apenas 10 anos, desapareceu de dentro da própria casa, dia primeiro de novembro. O caso, que ocorreu no bairro do Maiobão, no município de Paço do Lumiar, gerou comoção na população de todo o Maranhão.

Inicialmente, a suspeita era de que ela tenha sido raptada.

O corpo de Alanna Ludmila foi encontrado na manhã do dia 3 de novembro, dois dias após ela ser morta, em uma cova rasa e coberto com telhas no quintal da casa por vizinhos que sentiram um forte odor vindo do local e pularam o muro para verificar.

O assassino, Robert Serejo (31 anos), fugiu após o caso começar a repercutir nas mídias, e foi preso no dia 4 de novembro, enquanto tentava sair de São Luís. Após depoimento para a polícia, ele contou todos os detalhes de como matou a menina Alanna Ludmilla, afirmando que a menina gritou e ele tampou a boca dela com a mão. Em seguida amarrou uma sacola plástica na cabeça da criança e depois cometeu abuso sexual.