Home Maranhão Projeto que incentiva leitura premia alunos da rede pública

Projeto que incentiva leitura premia alunos da rede pública

Projeto que incentiva leitura premia alunos da rede pública

Na manhã desta quarta-feira (8), os vencedores do projeto “Ler, Escrever e Pensar – Conscientizar para Transformar” foram premiados pelo Ministério Público do Maranhão, na cidade de João Lisboa. O concurso busca estimular leitura e produção textual de estudantes da rede pública. Mais de 300 alunos de 20 escolas da rede estadual e municipal participaram do projeto.

O projeto é de autoria das Promotorias de Justiça de João Lisboa e, em Imperatriz, é de responsabilidade do promotor Lucas Mascarenhas, titular da 9ª Promotoria de Justiça Especializada em Infância e Juventude.

Para a juíza, Manuela Farias, a culminância do projeto incentiva os alunos para a produção textual e estimula do pensamento crítico, o que explica a escolha do tema para este ano “O Jeitinho Brasileiro”, da obra “O Que Faz o Brasil, Brasil?”, do antropólogo Roberto DaMatta.

“A grande importância do projeto é a gente tratar de um tema tão relevante, cada vez mais atual. A corrupção no nosso país começa nas pequenas coisas. A gente precisa mudar dentro de casa, da sala de aula esse comportamento de achar que tudo com o jeitinho brasileiro se resolve as coisas. Precisamos começar a mudar na base para que mais à frente a gente venha a ter candidatos, políticos com um comportamento de honestidade”, explica a juíza.

Manuela ainda reitera que o principal objetivo é promover ações de conscientização política, além da prevenção e combate à corrupção, aliado ao estímulo à leitura e à produção textual. Lançado em fevereiro deste ano, o projeto engloba ações como a leitura de um livro por alunos do 9º ano do ensino fundamental e dos três anos do ensino médio.

Para a estudante Ana Lígia, as discussões sobre o cenário político do país são de grande importância. “Eu aprendi bastante, sobre como como funciona a sociedade, o ‘jeitinho brasileiro’. A obra fala bastante sobre corrupção. Aprendi que a honestidade já vem desde pequeno, tudo foi muito bem trabalhado. Me ajudou na minha formação enquanto cidadã”.

Em 2016, o projeto “Ler, Escrever e Pensar”, concorreu ao Prêmio Innovare, que escolhe anualmente iniciativas inovadoras de magistrados, promotores, procuradores, defensores públicos e advogados que contribuam para a qualidade e modernização da Justiça.