Home Notícias Educação Avaliação da Alfabetização revela dados alarmantes do Maranhão

Avaliação da Alfabetização revela dados alarmantes do Maranhão

Avaliação da Alfabetização revela dados alarmantes do Maranhão

Dados da Avaliação Nacional da Alfabetização (ANA) divulgados nesta quarta-feira (25) pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) apontam que os níveis de leitura, escrita e matemática no Maranhão estão deficitários. Os testes foram aplicados em todo o Brasil para alunos até o 3º ano do Ensino Fundamental, quando as crianças estão na faixa de 8 a 9 anos. Nos níveis de LEITURA, o Maranhão apresenta 77,30 % de insuficiência nos níveis de avaliação; na ESCRITA, os estudantes estão 59,93%  insuficientes, enquanto na disciplina de  MATEMÁTICA 77,32% não têm nível suficiente ou adequado. A pesquisa revela, portanto, que a grande maioria das crianças maranhenses matriculadas em escolas públicas têm dificuldade de interpretar textos e fazer contas para o que seria esperado para a idade.

Os resultados preocupantes da educação insuficiente das crianças do Maranhão acompanham o resultado verificado em todo o Nordeste. Na região, 69,15% dos estudantes de escola pública apresentaram insuficiência na leitura. O estado do Maranhão apresentou nível de LEITURA suficiente de 22,7 entre os estudantes da idade, 40,07% de nível de ESCRITA suficiente e apenas 22.68% de suficiência em MATEMÁTICA.

Uma das conclusões do relatório é de que os níveis de alfabetização do Brasil estagnaram entre 2014 e 2016. Mais da metade dos estudantes do 3º ano do ensino fundamental de todo o Brasil apresentaram nível insuficiente de leitura e em matemática para a idade. No país, 54,73% dos alunos tinham nível de leitura insuficiente em 2016 e 45,27% tinham nível suficiente. Em 2014, o percentual de estudantes avaliados com nível insuficiente era um pouco maior: 56,17%.

Para tentar reverter esse quadro, o Ministério da Educação apresentou medidas da Política Nacional de Alfabetização.

Em relação aos dados verificados no Maranhão, a equipe do MA10 entrou em contato com a Secretaria de Educação do Estado, mas até o momento da publicação da matéria (12h45), não obteve resposta.

Veja os resultados da pesquisa detalhadamente aqui.

Da Redação do MA10 –

Raíza Carvalho