Home Maranhão São Luís Moradores protestam contra falta de água no bairro Pirapora

Moradores protestam contra falta de água no bairro Pirapora

Moradores protestam contra falta de água no bairro Pirapora

Moradores do bairro Pirapora reclamam de transtornos causados pela falta de fornecimento de água na localidade. Devido à falta no abastecimento, houve um protesto logo no início da manhã desta quarta-feira (18).

Os manifestantes utilizaram pedaços de madeira e atearam fogo para bloquear a Avenida São Carmelo, principal via do bairro. Segundo os moradores, o problema afeta a comunidade há mais de 15 dias.

A dona de casa Josefa Silva conta que com a falta de água, fazer os serviços domésticos fica cada vez mais difícil.

“Com a falta de água, fica difícil tomar banho, cozinhar e prejudica outros afazeres de casa. Temos que comprar água de carro pipa. Eles tem que tomar uma solução para nosso bairro.”

A comunidade aguarda um posicionamento da Companhia de Saneamento Ambiental do Maranhão (Caema), caso o problema não se resolva, a comunidade anuncia um novo protesto a ser realizado na avenida Santos Dumont.

Em nota, a Caema informou que estão sendo realizadas manobras constantes em todos os reservatórios da capital para que a cidade seja abastecida da melhor forma possível.

“A Companhia de Saneamento Ambiental do Maranhão (Caema) esclarece que, devido a períodos de chuvas cada vez mais escassos e que afetaram negativamente o abastecimento da cidade, a companhia tem concentrado esforços para manter a regularidade do fornecimento de água em diversas áreas da capital. Especificamente no Pirapora, foi realizada uma manobra para garantir o abastecimento da comunidade, que está bastante comprometido por conta do nível do R-9, responsável pelo suprimento do bairro. A Companhia informa ainda que vem realizando manobras constantes em todos os reservatórios da capital para que a cidade seja abastecida da melhor forma possível, e que a situação deve ser melhorada após a entrega da nova adutora do Sistema Italuís, que resultará em um incremento de 30% a mais na atual vazão contribuindo também para o fim da intermitência em várias áreas atendidas pelo Italuís”.