Home Maranhão Mais de 270 mil estabelecimentos rurais no MA serão pesquisados

Mais de 270 mil estabelecimentos rurais no MA serão pesquisados

Mais de 270 mil estabelecimentos rurais em todo o Maranhão serão pesquisados durante o Censo Agropecuário 2017, realizado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). As atividades de coleta tiveram início nesta segunda-feira (2)  e serão estendidas até fevereiro de 2018 no estado e em todo o país.

O objetivo do censo, que chega à sua 10ª edição, é mostrar a realidade da produção agropecuária brasileira, algo que não é amplamente realizado há 10 anos, quando ocorreu a última edição da pesquisa. O IBGE realiza outros levantamentos, como a Produção da Pecuária Municipal (PPM), a Produção Agrícola Municipal (PAM) e as Trimestrais da Agropecuária, contudo, o censo, é a única pesquisa que recolhe dados de todos os estabelecimentos produtores, além de servir como subsídio para as outras pesquisas. Por isso, tem a abrangência de um retrato do campo brasileiro.

Local – Na Região Metropolitana de São Luís devem ser recenseados mais de 1550 estabelecimentos agropecuários, incluindo a capital maranhense e os municípios de Paço do Lumiar, Raposa e São José de Ribamar. Apenas no fim da coleta de dados, em fevereiro de 2018, será possível saber de fato em quantos locais foi feita a pesquisa, pois alguns desses estabelecimentos podem ter desaparecido ou então novos foram criados desde o último censo agropecuário, realizado no ano de 2007.

No Maranhão, a coleta dos dados para a pesquisa será realizada em todos os 217 municípios. Para isso, as agências do IBGE espalhadas em 19 cidades maranhenses estão mobilizadas para a realização dessa tarefa.

Com o intuito de facilitar os trabalhos, o Maranhão foi dividido em 39 subáreas, nas quais existem 51 postos de coletas, onde os 921 recenseadores trabalharão para o levantamento dos dados. Ao todo, 1.223 profissionais estão diretamente envolvidos nas atividades.

 

Identificação – Todos os recenseadores que participarão da coleta de dados estão identificados. As pessoas podem confirmar a identidade desses profissionais através do QR Code que cada um deles levará no crachá, localizado no lado esquerdo do peito do colete. O código pode ser lido pelo celular e redirecionará diretamente para o site do IBGE, que fará a checagem.

No crachá também poderão ser encontrados outros dados, como o nome completo do recenseador, sua matrícula, identidade e validade das informações ali constantes, além de uma fotografia recente do agente de coleta. Também é possível fazer a verificação por meio do telefone 0800 821 8181 onde, em caso de dúvida, as pessoas podem checar se aquele que está se apresentando como um recenseador trata-se de fato de um funcionário do IBGE.

O último elemento de identificação do recenseador é o DMC (Dispositivo Móvel de Coleta) que cada um deles estará portando no momento da aplicação do questionário. O dispositivo é obrigatório, pois é justamente nele onde os agentes registrarão os dados de cada estabelecimento, assim como o georreferenciamento de cada propriedade.

Esse novo sistema também vai melhorar a crítica dos dados, orientando os recenseadores durante a coleta, para que o questionário seja preenchido de forma correta. À medida que o recenseador coleta as informações, os dados já começam a ser transmitidos e conferidos.

 

Importância – O Censo Agropecuário pretende investigar informações em cerca de 5,3 milhões de estabelecimentos agropecuários em todos os municípios brasileiros, levantando informações sobre agricultura; extração vegetal; silvicultura; criação de animais de grande, médio e pequeno porte; aqüicultura; criação de abelhas; criação de bicho-da-seda; beneficiamento e transformação de produtos agropecuários; entre outras informações do setor rural.

Pretende-se obter informações sobre o total de estabelecimentos e o que produzem; a utilização de pessoal e mão de obra; caracterização do produtor; distribuição e uso de terras, entre outros dados do setor, referidos ao período de 1° de outubro de 2016 a 30 de setembro de 2017 para o Brasil, grandes regiões, unidades da federação, mesorregiões, microrregiões e municípios. A divulgação dos resultados preliminares está prevista para 2018.

O Censo Agropecuário 2017 vai subsidiar a implantação do cadastro de estabelecimentos agropecuários e do Sistema Nacional de Pesquisas Agropecuárias. Isso permitirá a criação da Pesquisa Nacional por Amostra de Estabelecimentos Agropecuários, que irá a campo, anualmente, captar dados pormenorizados sobre receitas e despesas na produção, crédito e seguro rural, proteção de mananciais, conservação da fauna e flora, uso de agrotóxicos, técnicas de produção, além da situação social e familiar dos trabalhadores do campo, entre outros temas.