Home Brasil Juiz libera cura gay por psicólogos

Juiz libera cura gay por psicólogos

Juiz libera cura gay por psicólogos

Uma decisão, em caráter liminar, proferida pela Justiça Federal do Distrito Federal tem dado o que falar nas redes sociais em todo o Brasil, provocando polêmica e discussões. A permissão, dada nessa segunda-feira (18), autoriza que psicólogos possam tratar homossexuais como doentes, oferecendo terapias, sem que nenhuma censura seja feita pelo Conselho Federal de Psicologia (CFP).

O CFP, que proíbe o tratamento há 18 anos, irá recorrer à instâncias superiores.

A proibição se dá por uma determinação da Organização Mundial da Saúde, que desde 1990 não reconhece a orientação sexual homoafetiva como doença.

A decisão é do juiz Waldemar Cláudio de Carvalho, que acatou parcialmente o pedido de liminar que suspendia a resolução onde  estão estabelecidas as normas de conduta dos psicólogos, em relação às questões envolvendo orientação sexual. Além disso, o juiz determina que o CFP não impeça profissionais de promover estudos ou atendimento profissional, de forma reservada, pertinente à reorientação sexual.

A decisão atende a pedido da psicóloga Rozangela Alves Justino em processo aberto contra o colegiado, que aplicou uma censura à profissional por oferecer a terapia aos seus pacientes. Segundo Rozângela e outros psicólogos que apoiam a prática, a Resolução do C.F.P. restringia a liberdade científica.

Segundo a resolução 001/1999, do Conselho Federal de Psicologia, ‘os psicólogos não exercerão qualquer ação que favoreça a patologização de comportamentos ou práticas homoeróticas, nem adotarão ação coercitiva tendente a orientar homossexuais para tratamentos não solicitados’. “os psicólogos não exercerão com eventos e serviços que proponham tratamento e cura das homossexualidades”. Os autores da ação, que apoiam o tratamento de reversão sexual, pediam que a norma fosse considerada inconstitucional por supostamente ‘restringir’ a liberdade científica.

SÃO LUÍS

Em São Luís, ludovicenses expressaram suas opiniões sobre a polêmica nas redes sociais.

Artistas brasileiros também se manifestaram nas redes sociais. O blogueiro Hugo Gloss, o humorista Paulo Gustavo e a jornalista Fernanda Gentil postaram fotos em seus perfis com remédios, pedindo a cura para a “doença” da homossexualidade.

Para o Conselho Federal de Psicologia, terapias de reversão sexual representam “uma violação dos direitos humanos e não têm qualquer embasamento científico”.