Home Maranhão Imperatriz A cada dez casos de suicídio, nove podem ser evitados

A cada dez casos de suicídio, nove podem ser evitados

A cada dez casos de suicídio, nove podem ser evitados

O mês de setembro é dedicado à prevenção e ao esclarecimento sobre fatores que podem levar uma pessoa ao suicídio.

No último domingo (10) foi celebrado o Dia Mundial de Prevenção ao Suicídio e foi repleto de atividades em várias cidades do Brasil. Em Imperatriz, uma programação está sendo montada pela Secretaria de Saúde.

Segundo a Organização Mundial da Saúde – OMS, cerca de um milhão de pessoas morrem de suicídio no mundo e a cada dez casos, nove podem ser evitados.

A Campanha Setembro Amarelo é organizada pelo Centro de Valorização da Vida – CVV e busca conscientizar a população brasileira, sobre as causas do suicídio e propõe debates sobre o tema.

Para a psicóloga, Marta Teodósio, o suicídio não é um ato imediato, é a soma de vários fatores de risco. “A depressão e a bipolaridade são as causas mais visíveis que podem levar qualquer pessoa ao suicídio. Mas o stress, o abandono da família, e desemprego também são agravantes”, destaca.

A psicóloga ainda observa que a atenção da família é fundamental para evitar mais casos. “Se a família observar isolamento, aumento no consumo de bebidas alcoólicas ou drogas é importante que procurem ajuda de imediato”, comenta.

O CVV em conjunto com o Conselho Federal de Medicina e o Associação Brasileira de Psiquiatria, consideram o suicídio como um problema de saúde pública com dados alarmantes. De acordo com o mapa da violência no Brasil, são 32 brasileiros mortos diariamente pelo suicídio.

A campanha visa diminuir esses dados com palestras, grupos de ajuda e esclarecimentos para a pessoa em situação de risco e para a família.

A campanha

A mobilização para a sociedade debater mais sobre o tema, intensificou no ano de 2014, quando nasceu a Campanha Setembro Amarelo. Esse foi o ano com maior registro de casos de suicídio no mundo.

Em 2015, a campanha iluminou em tons de amarelo monumentos como o Cristo Redentor, o Congresso Nacional e a ponte Juscelino Kubitschek. Mas, além das intervenções visuais, a proposta do Setembro Amarelo é fazer ações de rua, como caminhadas e passeios ciclísticos, para alertar sobre a importância de discutir o tema.

Em 2017, foi realizado um estudo inédito de monitoramento de suicídio nas redes sociais, realizado pelo projeto Comunica Que Muda, da agência nova/sb, especializada em Comunicação de Interesse Público, que confirmou que o tema ainda é tabu nas redes sociais ou visto como motivo de piada. Por isso, a ideia desse ano é ampliar o debate nos principais canais (Facebook, Instagram, Twitter e YouTube).

Falar é a melhor solução

Um dos objetivos da Campanha é incentivar o diálogo, a pessoa que está em situação de risco precisa conversar, mas por vergonha ou medo de críticas acaba não procurando nenhum tipo de ajuda.

Centro de Valorização da Vida – CVV, é uma associação sem fins lucrativos, que presta serviço voluntário e gratuito de apoio emocional e prevenção do suicídio para todas as pessoas que querem e precisam conversar, sob total sigilo. O grupo atende via telefone 141, via e-mail ou scarp.