Home Polícia Vítimas mais comuns em casos de agressão ao idoso são mulheres

Vítimas mais comuns em casos de agressão ao idoso são mulheres

Vítimas mais comuns em casos de agressão ao idoso são mulheres

Mulheres com idade entre 60 e 70 anos: este é o perfil da maior parte das vítimas de casos relacionados a violência com idosos registrados no Maranhão. Entre janeiro e julho deste ano, foram realizados 712 atendimentos relacionados a casos do gênero, sendo que em 63% dos episódios os agressores são os filhos e netos da vítima. Os dados são do Centro Integrado de Apoio e Prevenção à Violência contra a Pessoa Idosa (Ciapvi), que está a frente da Campanha de Conscientização da Violência Contra a Pessoa Idosa, realizada pela Defensoria Pública do Estado do Maranhão (DPE-MA).

A campanha teve como objetivo discutir estratégias de promoção de políticas públicas que oportunizem um envelhecimento digno, saudável e sem violência. Ainda segundo a Ciapvi, as violações com maior incidência são a negligência, as violências física, psicológica e financeira, a autonegligência e o abandono.

Em 2017, alguns desses casos ganharam destaque na mídia maranhense, expondo os agressores e a gravidade dos números divulgados pela DPE-MA. A exemplo de Roberto Elísio, acusado de agredir sua própria mãe, fato que foi registrado por meio de vídeos, gravados pela sua esposa. Ele foi preso no dia 26 de maio.

Menos de uma semana depois, no dia 29 de maio, faleceu em Imperatriz a aposentada Maria Divina Sobrinho Lima (62 anos), que foi internada por fraturas causadas após espancamento que sofreu de seu sobrinho Douglas Barbosa Silva, com quem morava.

Já no dia 2 de junho, foi decretada a prisão preventiva de irmãos acusados de agressões contra a mãe, uma idosa de 69 anos. Eles descumpriram medida protetiva que os proibia de se aproximarem da vítima. Os dois compareceram à casa da mãe com o objetivo de importuná-la, ocasião em que dirigiram à vítima palavras de baixo calão e exigiram dinheiro da mesma por meio de ameaças.