Home Maranhão Mais de 8 mil queimadas foram registradas no Maranhão em 2017

Mais de 8 mil queimadas foram registradas no Maranhão em 2017

Mais de 8 mil queimadas foram registradas no Maranhão em 2017

Sendo o quinto estado com maior número de focos de incêndio em 2017, o Maranhão contabilizou um total de 8.613 focos de queimadas apenas este ano. Os dados foram divulgados pelo Programa Queimadas do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe). Com registros maiores que o do estado, estão o Pará (20.434), Mato Grosso (16.116), Tocantins (9.216) e Amazonas (8.958).

Apenas nos primeiros dias deste mês, já foram registrados 810 focos. Os dados são obtidos pelo Instituto por meio de monitoramento de satélites e utilizam como parâmetro o “foco de queima–satélite referência”, que indica a existência de fogo em alguma vegetação, que pode corresponder a queimadas ou incêndios florestais, e excepcionalmente, incêndios em depósitos de substâncias combustíveis.

Em 2017, quase 10 mil focos foram registrados em todo o país: um total de 99.057 casos colocou o Brasil em primeiro lugar no ranking de queimadas, em comparação aos outros países da América do Sul.

Campanha

A partir desses dados, a Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Recursos Naturais (SEMA) iniciou, neste mês de setembro, uma campanha de educação e conscientização sobre o uso da Queima Controlada e os riscos que as queimadas sem os devidos cuidados podem ocasionar ao meio ambiente.

É considerada Queima Controlada, o emprego do fogo como fator de produção e manejo em atividades agropastoris ou florestais, e para fins de pesquisa científica e tecnológica, em áreas com limites físicos previamente definidos e realizado de forma planejada e controlada.

“São expedidas pela SEMA autorizações de Queima Controlada somente para os fins de prática tradicional da agricultura familiar, para o método despalhador e facilitador do corte de cana-de-açúcar, para  resíduo não aproveitável de exploração florestal. Também é autorizada a queima para  pesquisa científica e manejo conservacionista de vegetação nativa em Unidades de Conservação. É importante ressaltar que a SEMA não autoriza o uso do fogo para fins de renovação de pastagens,” explica  o Superintendente de Recursos Florestais da SEMA, Fábio Henrique de Sousa.

A execução de uma queima controlada deve ser marcada para o dia em que todos os preparativos tenham sido cumpridos de acordo com o plano estabelecido. O material que será utilizado, a instalação de linha de fogo e todas as outras medidas devem ser realizadas de acordo com as normas prescritas. Igualmente deve ser considerada a organização do pessoal, dos equipamentos e das técnicas de incêndio e controle.

“É necessário ações preventivas, que visem minimizar a incidência de focos de queimadas no Estado e, assim, diminuir os impactos ambientais ao solo, fauna e flora local. A SEMA disponibiliza uma capacitação em queimadas para que seja esclarecida dúvidas e dadas as devidas orientações quanto ao uso da queima controlada e de outras formas de queimadas. Basta o município ou comunidade fazer a solicitação para  a Secretaria”, destacou o Superintendente.

 

Consequências para o Meio Ambiente

As queimadas são um motivo de enorme preocupação para todos os brasileiros. Quando fogem do controle provocam grandes incêndios florestais, além de outras consequências graves para o meio ambiente, como: empobrecimento do solo, destruição de redes de eletricidade e cercas, acidentes rodoviários, causando prejuízos aos produtores rurais, ao meio ambiente e à saúde humana.

 

A Queima Controlada facilita em parte o trabalho do pequeno agricultor, trazendo benefícios a curto prazo, mas ela afeta negativamente a biodiversidade, a dinâmica dos ecossistemas, aumenta o processo de erosão do solo e deteriora a qualidade do ar.

 

A SEMA disponibiliza no site um espaço para esclarecer dúvidas recorrentes acerca do processo de queima, bem como as obrigações legais e documentos necessários aos solicitantes do processo de queima controlada. Para mais informações acesse o site www.sema.ma.gov.br, no item SERVIÇOS.